Mostrando postagens com marcador Morte. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Morte. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Vigiai na oração

 

Vigiai na oração

- Nesta noite, enquanto a maior parte dos Meus filhos passa as últimas horas do ano em divertimentos e na dissipação, vigiai comigo, Meus prediletos, no Silêncio e na Oração mais intensa.

Oração de Agradecimento:

- Por todas as graças que, neste período de tempo, vos foram dadas pelo Pai, no Espírito Santo, por meio do Meu Filho Jesus e através da contínua intercessão do Meu Coração Imaculado.

- Este mundo está nas mãos do Meu adversário, que o domina com o seu espírito de Soberba e de Rebelião, conduzindo um imenso número de filhos de Deus pelo caminho do prazer, do pecado, da desobediência a Lei de Deus, no desprezo da Sua Vontade.

- Este mundo, encontra-se mergulhado na noite mais profunda e não há inicio de ano que consiga dissipar as Grandes Trevas em que caminha.

- Este mundo foi criado para a Gloria do Pai,

foi redimido e salvo pelo Filho e

é continuamente transformado pela ação do Espírito Santo.

- Nada pode resistir a força do Amor Misericordioso de Deus, que quer transformar este pobre mundo numa Nova Criação.

- Por isso tornar-se-ão cada vez mais numerosas, extraordinárias e miraculosas as intervenções do Meu Coração Imaculado.

- Por isso, agradecei comigo a Santíssima Trindade, que Se serve de Mim -Sua pequena Serva- para levar toda a criação a Perfeita Glorificação de Deus.

[“Senhor, sou teu servo, filho de Sua Serva”. (Lc 1,38; Sab 9,5; Sl 85,16; Sl 115,16; msm31.12.82)]

Oração de súplica:

- Para obter do Coração Misericordioso de Jesus dias de Paz e não de aflição, de serenidade e não de desventura.

- O perigo duma nova guerra torna-se real.

- Sob a aparência de frágeis promessas de entendimento, preparam-se os mais refinados meios de morte e a humanidade é conduzida pelo caminho do ódio e da sua própria destruição.

- Que a vossa Oração obtenha para todos a Graça que leve a derrota do pecado; a concórdia, que faça calar a violência e o terror, de modo que possa chegar finalmente a vós a Paz Universal na verdade e na justiça.

- É preciso um Grande Milagre; é preciso arrancar com a força da Oração este Milagre da Divina Misericórdia.

- Só assim poderá chegar a vós a salvação.

Oração de reparação:

- Porque a taça da Justiça Divina está cheia, mais que cheia, transbordando.

- Olhai como o ódio e o pecado se alastram.

- Hoje, grande parte dos homens já não observa os Dez Mandamentos do Senhor.

- O vosso Deus é publicamente ignorado, negado, ofendido e blasfemado.

- O Dia do Senhor é cada vez mais profanado.

- Todos os dias se atenta contra a vida.

- Todos os anos são assassinadas no mundo dezenas de milhões de crianças inocentes no seio das mães e aumenta o número de homicídios, das violências, dos roubos e dos sequestros.

- A Imoralidade se alastra como um dilúvio de lama e é publicitada pelos meios de comunicação social, especialmente pelo cinema, pela imprensa e pela televisão.

- Por meio desta última entra em cada família uma tática sútil e diabólica de sedução e corrupção.

- As vitimas mais indefesas são as crianças e os jovens, para os quais olho com preocupada ternura de Mãe.

- Só uma poderosa força de Oração e de Penitência Reparadora poderá salvar o mundo de tudo aquilo que a Justiça de Deus preparou por causa da sua obstinada recusa em acolher todos os convites ao arrependimento.

- Escutai, ao menos agora, a voz da vossa Mãe Celeste.

- Preciso de muita Oração Reparadora e de sofrimento oferecido com Fé.

- Rezai sempre o vosso Terço.

- Vivei comigo, na Confiança e no Temor, porque se preparam horas decisivas que podem marcar o destino de toda a humanidade.

- Abençoo-vos em Nome do Pai, do Filho e do Espírito santo.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 31.12.82

Clique aqui e veja também:

Sinais do vosso tempo

Convertei-vos

Tática do adversário de Deus

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

No Sepulcro Novo

No Sepulcro Novo

- Hoje, o Corpo do Meu Filho Jesus repousa no Sepulcro Novo, no sono da morte.

- No Meu Seio Virginal, onde o Verbo do Pai Se depôs, após o Sim que pronunciei no momento da Anunciação, depõe-Se o Seu Espírito.

- E sinto-Me Mãe Dolorosa e feliz,

ferida e aplacada,

mergulhada num oceano de dor e envolvida num manto de paz,

abalada pelo pranto e recomposta por uma interior e Divina Bem Aventurança.

- Enfim, tudo se cumpriu.

- Agora, velo em Ato de Oração incessante, enquanto:

o Meu Coração se abre a certeza da Ressurreição do Meu Filho Jesus,

a Minha mente se ilumina a Luz da Sua profecia e

a Minha pessoa vive inteiramente nesta expectativa deste Seu Glorioso momento.

- É o dia da Minha Materna solidão.

- É o dia da Minha imensa dor.

- É o dia fecundo da Minha firme esperança.

- É o Meu primeiro dia da Minha Nova e Espiritual Maternidade.

- Entrai, filhos prediletos, no Berço do Meu Coração Imaculado e preparai-vos, vós também, para o momento do vosso Novo Nascimento.

- No Sepulcro Novo, onde jaz, só por este dia o Corpo sem vida do Meu Filho Jesus, deponde o homem que deve morrer em vós.

- Deponde o homem do pecado e do vicio, do ódio e do egoísmo, da avareza e da luxuria, da Soberba e do orgulho, da discórdia e da incredulidade.

- Morra hoje em vós, tudo aquilo que herdastes do primeiro homem.

- E saia finalmente para a Luz o Homem Novo que nasce no Sepulcro Novo, onde Cristo Ressuscitou no Esplendor Glorioso da Sua Divindade:

- O Homem Novo da Graça e da Santidade.

- O Homem Novo do amor e da comunhão.

- O Homem Novo da misericórdia e da pureza.

- O Homem Novo da humildade e da caridade.

- O Homem Novo da docilidade e da obediência.

- O Homem Novo da luz e da santidade

- O Homem Novo formado no Sepulcro Novo, que toma vida no momento Jubiloso da Ressurreição de Cristo.

- Este vosso Novo Nascimento se dá no Berço do Meu Coração Imaculado, ao Meu lado, vossa terna Mãe, e é assim que Eu inicio a nova missão da Minha Maternidade Espiritual e Universal.

- Só este Homem Novo, que nasce no Mistério Pascal de Cristo, é que pode abrir de par em par a porta do Sepulcro em que jaz hoje toda a humanidade já morta, para fazê-la ressurgir para a Nova Era de Graça e de Santidade, que Cristo Ressuscitado vos trouxe no momento da Sua Vitória sobre o pecado e sobre a morte.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 25.03.89

Clique aqui e veja também:

Confiança e Esperança

Segunda Páscoa na Glória

Anúncio da Nova Era

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

sábado, 14 de novembro de 2020

Sábado da Minha grande dor

 

Sábado da Minha grande dor

- Meus filhos prediletos, permanecei hoje junto de Mim, que sou vossa Mãe tão dolorosa.

- Este é o dia da Minha grande dor. (Sábado Santo)

- Depois de O ter deposto piedosamente no sepulcro, com a ajuda de João e das piedosas mulheres,

depois de ter sido rolada uma grande pedra para fechar a sua entrada,

fiquei pela primeira vez sem o Meu Filho.

- Naquele momento, o tempo parou para Mim.

- Foi então que começou a Minha vigília contínua, numa oração incessante, que ritmava o passar das horas, numa firme esperança que chegava até a penetrar a Porta do Céu, num profundo e intenso sofrimento, enquanto podia, finalmente, dar espaço a expressão da Minha dor materna, e contínuas lágrimas desciam dos Meus olhos, formando quase como que um berço de pranto, no qual depositava a todos vós, que Me tínheis sido confiados por Jesus na Cruz.

- É o sábado do Grande Repouso.

- É o sábado do Grande Silêncio.

- É o sábado da Minha Grande Dor.

- É o único dia em que a Mãe fica só, crucificada e suplicante, confiante e fiel, oprimida sob o peso do Seu Sofrimento.

- É o dia em que também a vossa Mãe tem uma grande necessidade de conforto.

- É o dia em que a Mãe tem necessidade do amor de todos os seus filhos.

- Hoje recolho-vos nos Meus braços maternos e Sou consolada ao sentir que Me amais verdadeiramente como filhos.

- Parece-Me ouvir ainda a Sua voz, que se prolonga na Sua extrema e mais preciosa oferta:

“Mulher, eis o teu filho”

- Hoje, no berço desta Minha dor, todos vós vos abris para acolher o fruto divino deste seu último dom.

- Este é o Meu e o vosso dia.

- Entrai no novo repouso sabático da Minha Maternidade Espiritual.

- A Igreja recebeu este dom como o primeiro fruto da Paixão e Morte do Meu Filho Jesus.

- Foi por isso que desde os tempos mais antigos se difundiu a tradição de dedicar o sábado a uma Minha particular veneração.

- Ainda hoje vos peço que Me Consagreis este dia.

- É o dia que marca a passagem para todos:

da morte a vida;

da paixão a glória;

do egoísmo ao amor;

da escravidão a liberdade;

das mais profundas trevas a Luz que não conhece ocaso.

- Entrai neste repouso Luminoso.

- Por isso vos convido a dedicar ainda o Dia de Sábado em Minha honra, para que vos possa ajudar a entrar no vosso repouso, vivendo cada dia a vossa Páscoa comigo, Mãe dolorosa da Paixão e Mãe Jubilosa da Ressurreição.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 18.04.87

Clique aqui e veja também:

Porta do Céu

Getsemani e seus ensinamentos

O segredo para as almas

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

"Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva"


quinta-feira, 5 de novembro de 2020

Gotas das Minhas lágrimas

 

Gotas das Minhas lágrimas

- Recolhei-vos comigo em oração de adoração e de reparação, para passar as últimas horas deste ano, que está para terminar, em ato de profunda intercessão.

- Rezai para pedir a salvação deste mundo, que já tocou o fundo da impiedade e da impureza, da injustiça e do egoísmo, do ódio e da violência, do pecado e do mal.

- Quantas vezes e de quantos modos intervim pessoalmente para vos convidar a conversão e a voltar ao Senhor da vossa paz e da vossa alegria.

- Esta é a razão das minhas numerosas aparições, das mensagens que dou por meio deste meu pequeno filho e da Minha Obra do Movimento Sacerdotal Mariano, que Eu mesma difundi em toda a parte do mundo.

- Como Mãe, indiquei-vos repetidamente o caminho a percorrer, a fim de alcançardes a vossa salvação.

- Mas não fui ouvida.

- Continuou-se a correr pelo caminho da Rejeição de Deus e da Sua Lei de Amor.

- Os Dez Mandamentos do Senhor são contínua e publicamente violados.

- Já não se respeita o Dia do Senhor e o Seu Nome Santíssimo é cada vez mais vilipendiado.

- O preceito de Amor ao próximo é violado cada dia pelo egoísmo, pelo ódio, pela violência, pela Divisão que entrou nas famílias e na sociedade, pelas guerras violentas e sangrentas entre os povos da terra.

- A dignidade do homem, como livre criatura de Deus, é esmagada pelas cadeias de uma escravidão interior que o torna vitima das paixões desordenadas, dos pecados e da impureza.

- Já chegou a hora do castigo para este mundo.

- Entrastes nos Tempos fortes da Purificação e os sofrimentos deverão aumentar para todos.

- Também a Minha Igreja tem necessidade de ser Purificada dos males que a atingiram e que a fazem viver os momentos da agonia e da sua Paixão Dolorosa.

- Como se alastrou a Apostasia, por causa dos erros que já se difundiram e que são acolhidos pela maioria, sem qualquer reação.

- A fé de muitos se apagou.

- O Pecado, cometido, justificado e não mais confessado torna as almas escravas do mal e de Satanás.

- A que miserável estado se reduziu esta Minha amadíssima Filha.

- Rezai comigo nestas Últimas Horas do ano que está para acabar.

- Durante o seu curso, intervim ainda muitas vezes, para obter do Senhor o Dom da Sua Divina Misericórdia.

- Mas o tempo que vos espera é aquele em que a Misericórdia se desposará com a Justiça Divina, para a Purificação da terra.

- Não espereis o Ano Novo com o barulho, com a gritaria e as canções de alegria.

- Esperai-o com a oração intensa de quem quer reparar ainda todo o mal e o pecado do mundo.

- As horas que estais para viver são das mais graves e dolorosas.

- Rezai, sofrei, oferecei, reparai comigo, que sou a Mãe da intercessão e da reparação.

Assim, meus prediletos e filhos Consagrados ao Meu Coração, tornai-vos, nestas últimas horas do ano, as gotas das minhas lágrimas, que descem sobre as imensas dores da Igreja e de toda a humanidade, enquanto entrais nos Tempos fortes da Purificação e da Grande Tribulação.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 31.12.90

Clique aqui e veja também:

Misericórdia e Justiça

Prostrai-vos comigo

A Grande Prova

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

"Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva"

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Na hora da vossa morte

 


Na hora da vossa morte

- Filhos prediletos, hoje vos recolheis em oração, recordando os vossos irmãos que vos precederam com o sinal da fé e dormem agora o sono da paz.

- Como é grande o número dos Meus prediletos e dos filhos Consagrados ao Meu Coração Imaculado que já entraram no repouso do Senhor.

- Muitos deles participam da plenitude da alegria, na perfeita posse de Deus e, juntamente com os exércitos dos Anjos, são Luzes que brilham na eterna bem aventurança do Paraíso.

- Muitos encontram-se no Purgatório, com a certeza de estarem salvos para sempre, mas encontram-se ainda no sofrimento purificador, porque a sua posse de Deus ainda não é plena e perfeita.

- Hoje quero dizer-vos que estes vossos irmãos estão particularmente perto de vós e constituem a parte mais preciosa do Meu exército vitorioso.

- O Meu exército é um só, como uma só é a Minha Igreja, reunida na alegre experiência da Comunhão dos Santos.

- Os Santos intercedem por vós,

iluminam o vosso caminho,

ajudam-vos com o seu puríssimo amor,

defendem-vos das astuciosas insídias que o Meu adversário vos arma e

esperam, ansiosos, pelo momento em que se encontrarão convosco.

- As almas do Purgatório rezam por vós, oferecem os seus sofrimentos pelo vosso bem e são ajudadas, pelas vossas orações, a libertarem-se daquelas imperfeições humanas que lhes impedem de entrar na felicidade eterna do Paraíso.

- Os Santos que viveram na terra a Consagração ao Meu Coração Imaculado, compondo uma coroa de amor para aliviar as dores da vossa Mãe Celeste, formam aqui no Paraíso a minha mais bela coroa de glória.

- Eles estão ao lado do Meu trono e seguem a vossa Mãe Celeste para onde quer que vá.

- As almas do Purgatório, que fizeram parte do Meu exército na terra, gozam agora duma particular união comigo, sentem de maneira especial a Minha presença, que adoça a amargura do seu sofrimento e abrevia o Tempo da sua Purificação.

- Sou Eu mesma que vou ao seu encontro para as acolher nos Meus braços, para as introduzir na Luz incomparável do Paraíso.

- Assim, estou sempre ao lado de todos vós, meus prediletos e filhos Consagrados ao Meu Coração, durante a vossa dolorosa peregrinação terrena, mas estou de modo especialíssimo ao vosso lado na hora da vossa morte.

- Quantas vezes, recitando o Santo Terço, Me repetistes esta oração:

“Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte

- Esta é uma invocação que Eu escuto com grande alegria e é sempre atendida por Mim.

- Se como Mãe, estou ao lado de cada um dos Meus filhos, na hora da morte estou particularmente junto de vós que sempre vivestes, por meio da vossa Consagração, no refúgio seguro do Meu Coração Imaculado.

- Na hora da vossa morte, estou perto de vós com o esplendor do Meu corpo glorioso, acolho as vossas almas nos Meus braços maternos e levo-as diante do Meu Filho Jesus, para o seu Juízo Particular.

- Pensai como deve ser alegre o encontro com Jesus para aquelas almas que Lhe são apresentadas pela sua própria Mãe.

- Isto porque Eu as cubro com a Minha beleza,

dou-lhes o perfume da Minha santidade,

o candor da Minha pureza,

a cândida veste da Minha caridade e, se ficou alguma mancha, passo com a Minha mão materna para a apagar e vos dar aquele esplendor que vos permite entrar na eterna bem aventurança do Paraíso.

- Bem aventurados aqueles que morrem ao lado da vossa Mãe Celeste.

- Sim, bem aventurados, porque morrem no Senhor, encontrarão o repouso de suas fadigas e o bem que fizeram os acompanha.

- Meus prediletos e filhos Consagrados ao Meu Coração Imaculado, hoje convido-vos a entrar numa grande intimidade comigo, durante a vossa vida, se quereis experimentar a grande alegria de Me ver ao vosso lado, para acolher nos Meus braços maternos as vossas almas, na hora da vossa morte.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 02.11.92

Clique aqui e veja também:

Maria, caminho fácil, curto e perfeito

Vontade, porta de entrada da alma

Obediência e desobediência

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Dor do novo nascimento

 


Dor do novo nascimento

- Filhos prediletos, hoje vos associo a grande dor da vossa Mãe Imaculada.

- Vós sois os filhos da Minha materna predileção.

- Vós fostes escolhidos por Mim para fazer parte do Meu exército vitorioso.

- Vós sois parte importante do Meu desígnio de Medianeira e Corredentora.

- O Meu Filho Jesus Me quis aos pés da Cruz para associar a minha dor imaculada a todo o Seu Divino sofrimento.

- Quis unir o Meu sofrimento humano ao Seu e associou-Me intimamente ao mistério da Sua Redenção.

- Assim, chamou-Me a ser verdadeira Corredentora.

- O fruto da Minha Corredenção é a Minha maternidade espiritual.

- Aos pés da Cruz, no berço de tão grande sofrimento, tornei-Me, por vontade do Meu Filho Jesus, Vossa Mãe e Mãe de todos os redimidos.

- Mãe da Igreja e de toda a humanidade.

- E cumpri esta missão materna permanecendo, como uma verdadeira mãe, ao lado de todos os meus filhos, durante o curso terreno da história humana.

- Não deixei nenhum deles sozinho ou abandonado; ninguém foi repelido ou afastado por Mim.

- Sempre estive perto de todos, como Mãe amorosa e dolorosa.

- Trouxe no Meu Coração os sofrimentos de todos.

- Trouxe no Meu Coração os sofrimentos de toda a Igreja.

- Partilhei as imensas dores:

dos pobres e dos marginalizados,

dos pecadores e dos desesperados,

dos afastados e dos ateus,

dos bons e dos maus,

dos grandes e dos pequeninos,

dos Sacerdotes e dos fiéis,

dos sofredores e dos doentes,

dos agonizantes e dos moribundos.

- Tornei-Me Mãe de todas as dores.

- A Minha tarefa materna é, sobretudo, participar dos grandes sofrimentos da Igreja e de toda a humanidade, nestes dias da Purificação e da Grande Tribulação.

- São estes os sofrimentos que preparam os novos tempos, o surgir da Nova Era.

- É, por isso, a dor do novo nascimento.

- Como Mãe, Sou chamada a missão de gerar hoje, na dor, a nova humanidade, pronta para o encontro com o Seu Senhor, que está para voltar a vós na glória.

- Por isso, meu pequeno filho, te quis de novo aqui, nos Estados Unidos da América, para começares uma longa e cansativa viagem a muitos países, para fazer os Cenáculos do Meu Movimento e conduzir todos ao refúgio seguro do Meu Coração Imaculado.

- Quero, assim, associar-te a minha materna obra de corredenção e torno-te cada vez mais participante das minhas grandes dores.

- Torna-te, por isso, o sinal da Minha presença materna e dá a todos o carisma do Meu Bálsamo suave.

- Dá ajuda aos afastados,

conforto aos doentes,

coragem aos fracos,

amparo aos pequeninos,

Graça aos pecadores,

amor aos sacerdotes,

luz aos fiéis,

esperança aos desanimados e

grande confiança a todos.

- Verás em toda a parte as maiores maravilhas porque os tempos da Minha materna corredenção chegaram.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 15.09.90

Clique aqui e veja também:

Nova Era

Convertei-vos

O número da Besta: 666

Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Velai comigo na espera

 


Velai comigo na espera

- Filhos prediletos, hoje velai comigo na espera.

- É o Sábado Santo.

- É o dia da minha firme esperança.

- É o dia da minha fé inabalável e da minha dor Imaculada.

- Jesus jaz morto no seu sepulcro novo.

- Desde que Me afastei do sepulcro, com João e as piedosas mulheres, depois de ter sido fechado e de ter sido rolada para a sua entrada uma grande pedra, é como se o tempo tivesse parado para Mim, Mãe Dolorosa e Crucificada.

- Recolhi-Me numa oração incessante, enquanto as lágrimas desciam dos meus olhos num pranto contínuo e o Meu Coração materno formava quase como que um berço de amor e de espera para o novo e glorioso nascimento do Meu Filho Jesus.

- A fé na Sua Palavra Divina, que sempre Me tinha sustentado durante a Sua existência humana e que se tinha tornado, nas horas da Sua Paixão dolorosa, o único amparo seguro da minha indizível dor, transforma-se agora em certeza absoluta da sua próxima Ressurreição.

- Vivo ferida e aplacada, lacrimosa e consolada, dolorosa e alegre, porque sei que Jesus, massacrado e morto de maneira tão cruel, já está para ressuscitar.

- No alvorecer do primeiro dia depois do sábado, com que amor e ternura filial Se aproxima de Mim, Jesus Cristo, no esplendor do Seu Corpo Glorioso, estreitando-Me nos seus braços, envolvendo-Me na sua fortíssima luz e dizendo-Me palavras divinas de conforto.

- Filhos prediletos, velai comigo na espera, no longo e doloroso sábado Santo, que vai desde a sua ressurreição até o Seu glorioso retorno.

- Velai comigo na espera e sede fortes na fé em Jesus, nestes tempos em que se renovam traições e abandonos da parte dos seus, em que a fé dos verdadeiros discípulos é posta a dura prova pela difusão dos erros mais enganadores e insidiosos.

- Velai comigo na espera e permanecei firmes na esperança de que Jesus voltará sobre as nuvens do céu, no esplendor do Seu Corpo Glorioso, tal como preanunciou diante do tribunal de Caifás, querendo dar um sinal seguro da sua divindade nestes tempos em que se difundem as dúvidas sobre a sua natureza divina e sobre o cumprimento das suas promessas.

- Velai comigo na espera e sede ardentes na caridade, nestes tempos em que ela se esfriou no coração dos homens e a humanidade se tornou um deserto de vida e de amor e é cada vez mais consumida e ameaçada pelo egoísmo, pela violência, pela fome e pela guerra.

- Velai comigo na espera, nestes últimos tempos do vosso longo sábado Santo, porque está próximo o momento em que o Meu Filho Jesus voltará sobre as nuvens do céu, no esplendor da Sua Divina Glória.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 14.04.90

Clique aqui e veja também:

Segundo Pentecostes

Apóstolos dos últimos tempos 

Divisão, primeiro sinal.

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

quinta-feira, 22 de outubro de 2020

O Filho e a Mãe

 


O Filho e a Mãe

- Vivei hoje ao meu lado, vossa Mãe Dolorosa, as horas dolorosas da Paixão e da Morte do Meu Filho Jesus.

- Entrai no intimo do Seu Coração Divino, para participar da intensidade de todo o Seu sofrimento.

- Durante o julgamento do tribunal religioso, onde Jesus é vilipendiado, maltratado e, por fim, condenado, por ter testemunhado a verdade e Se ter proclamado Filho de Deus.

- Durante o processo padecido perante o tribunal civil, onde depois de ter sido reconhecido inocente de todas as acusações que Lhe tinham sido feitas, é submetido ao terrível castigo da flagelação e da coroação de espinhos e, no final, é condenado a morte de Cruz.

- É assim que hoje Eu encontro o Meu Filho:

como um manso cordeiro conduzido ao matadouro, sem uma palavra de rancor, sem um lamento, oprimido sob o peso da Cruz que o Pai Celeste Lhe dá, enquanto sobe o Calvário.

- O Seu rosto já não tem aparência de homem, tão desfigurado está pelo sangue e pelos golpes;

o Seu corpo está todo reduzido pela flagelação a uma chaga vive, da qual saem rios de sangue.

- As forças já não O sustentam mais e Ele vacila;

a febre O consome, a vida se Lhe escapa, cai sob o peso do Seu patíbulo;

está ali, estendido por terra, esmagado como um verme e já não é capaz de Se levantar.

- É neste momento que o Pai Celeste Lhe dá o conforto de Sua Mãe.

- A partir deste momento vivemos juntos, o mistério da Sua Paixão Redentora.

- O Filho e a Mãe.

- Juntos percorremos a última parte deste terrível percurso.

- Ele, com o peso infinito do Seu padecer, que O esmaga;

Eu com a espada dolorosa, que transpassa o Meu Coração Imaculado e o fere, fazendo-o sangrar.

- O Filho e a Mãe juntos em direção ao Calvário, carregando a Cruz de uma mesma dor.

- As Gotas de Sangue que escorrem da Sua cabeça unem-se as lágrimas copiosas que brotam dos meus olhos maternos.

- A Coroa de Espinhos que cinge a Sua cabeça forma uma espada cortante que transpassa o Meu Coração.

- O Seu Corpo chagado é o espelho da Minha alma transpassada e dilacerada.

- O Filho e a Mãe.

- Juntos chegamos ao cume do Gólgota;

juntos somos suspensos no patíbulo;

juntos somos transpassados pelos cravos;

juntos vivemos as horas dolorosas da agonia;

juntos ouvimos os gritos maldosos daqueles que O insultam e blasfemam contra Ele;

juntos perdoamos os algozes;

juntos rezamos e amamos;

juntos sentimos o abandono do Pai;

juntos confiamos e a Ele nos entregamos;

juntos finalmente morremos.

- Jesus morre no corpo;

Eu, a Sua Mãe, no coração.

- Milagrosamente, permaneço ainda viva porque, como Mãe, devo ajudar o Meu Filho a morrer.

- Agora compreendeis o profundo significado do Seu último Dom:

“Eis ai a tua Mãe”

- Sou Mãe para Ele e para vós.

- O Filho e a Mãe.

- Os filhos e a Mãe.

- Aqui, aos pés da Cruz, estou ainda viva, milagrosamente, porque, como Mãe, devo ajudar todos vós a nascer e a viver Nele e para Ele.

- De hoje em diante, todos os homens redimidos por Jesus são também meus filhos.

- Sou a Mãe dos homens de todos os tempos, até o fim dos tempos, quando Jesus voltar na glória e então a minha maternidade espiritual se tiver finalmente cumprido.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 13.04.90

Clique aqui e veja também:

Anúncio dos três Anjos

O Amor não é amado

Infância do Padre Michel Rodrigue

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

domingo, 17 de setembro de 2017

Da Prisão a Flagelação de Jesus


A prisão e o sacrário
- Contempla-Me na prisão onde passei grande parte da noite.
- Ali vinham os soldados insultar-Me com palavras e ações, escarnecendo de Mim, ultrajando-Me, batendo-Me na cabeça e sobre o Meu Corpo.
- Fartos de Mim, abandonaram-Me sozinho e amarrado, num lugar úmido e escuro.
- Deram-Me uma pedra por assento onde o Meu Corpo dolorido se sentiu transido de frio.
  • Comparemos aqui a prisão com o coração daqueles que Me recebem.
- Na prisão, passei apenas parte da noite.
  • Mas no sacrário... quantos dias, quantas noites?
- Na prisão fui insultado e maltratado pelos soldados que eram Meus inimigos.
  • Mas no sacrário... quantas vezes não o sou por almas que Me chamam de Pai... mas não se comportam como filhos.
- Na prisão, sofri frio e sono, fome e sede, tristeza, vergonha e abandono.
  • E vi, no decorrer dos séculos, tantos tabernáculos onde Me faltaria o abrigo do amor... tantos corações gelados que seriam para Meu Corpo chagado, como a pedra da prisão.
Senhor, quero suavizar sua tristeza
- E quantos dias esperarei que tal alma ou tal outra, venha visitar-Me no sacrário e Me receber no seu coração.
- Quantas noites passadas a desejar sua vinda:
  • Mas ela se deixa dominar por suas ocupações, por sua moleza, pelo medo de prejudicar a saúde... e não vem.
  • Esperava-te para saciar Minha sede e para consolar Minha tristeza, alma querida, e não vieste.
- Quantas vezes terei fome das almas, de sua fidelidade, de sua generosidade:
  • Saberão elas aplacar esta fome ardente com aquela pequenina vitória sobre si mesmas, ou aquela leve mortificação?
  • Saberão aliviar Minha tristeza com sua ternura e compaixão?
  • Saberão, quando vier um momento mais doloroso a natureza?
  • Saberão, quando tiverem que suportar um sofrimento qualquer?
  • Um esquecimento?
  • Um desprezo?
  • Uma mágoa de coração ou de família?
- E com tudo isso, dizer-Me do fundo da alma:
“Isto será para suavizar Vossa tristeza,
para Vos acompanhar na Vossa Solidão”
- Ah, se soubessem unir-se a Mim com que paz atravessariam a dificuldade, como sua alma sairia dali fortificada e como Meu Coração seria consolado e aliviado.

Minha prisão e a frieza das almas
- Na prisão quantas palavras obscenas proferidas contra Mim Me haviam de cobrir de confusão:
  • E essa dor aumentava ainda lembrando-Me que semelhantes palavras cairiam um dia de lábios muito amados.
- Na prisão, enquanto aquelas mãos imundas descarregavam pancadas e bofetões sobre Meu Corpo:
  • Eu Me via espancado e esbofeteado pelas almas que Me receberiam sem delicadeza e Me acabrunhariam sob golpes repetidos de pecados habituais e consentidos.
- Depois, quando Me empurraram e Me deixaram cair por terra, atado e sem forças:
  • Vi muitas almas preferirem suas satisfações e acorrentarem-Me por suas ingratidões , repelirem-Me e renovarem Minha dolorosa queda, prolongando Minha solidão.
- Ó almas escolhidas, aproximai-vos de Vosso Esposo na prisão, comtemplai-O durante essa noite de padecimento:
  • E vede-A prolongar-se na solidão de tantos sacrários e na frieza de tantas almas.
Quereis dar-Me prova de vosso amor?
- Quereis dar-Me prova de vosso amor?
  • Deixai-Me vosso coração para que dele faça minha prisão.
  • Atai-Me com as cadeias do vosso amor.
  • Cobri-Me com as vossas delicadezas.
  • Saciai-Me a fome com a vossa generosidade.
  • Dai-Me de beber com o vosso zelo.
  • Consolai a Minha tristeza com a fidelidade de vossa companhia.
  • Tirai-Me esta dolorosa confusão com a vossa pureza e a vossa reta intenção.
- Quereis que Eu repouse em vós?
  • Preparai-Me um leito com vossos atos de mortificação.
  • Sujeitai a vossa imaginação.
  • Acalmai os tumultos de vossas paixões.
- Então, no silêncio de vossa alma, dormirei tranquilo e ouvireis a Minha Voz dizendo suavemente:
v  Ó Esposa Minha, que és agora o Meu Descanso, Eu serei o teu na eternidade.
v  Já que, com desvelo e amor, Me guardaste na prisão do teu coração, Minha recompensa não terá limites e nunca te arrependerás dos sacrifícios que por Mim fizeste durante a tua vida.

- Paremos aqui, Josefa, deixa-Me passar o dia de hoje na prisão de tua alma. Haja nela profundo silêncio para escutares as Minhas Palavras e responderes aos desejos que Eu te confiar.

Almas fieis imitadoras de Meu Coração
- Depois de ter passado a maior parte da noite na prisão úmida, escura e sórdida.
- Depois de ter suportado os ultrajes e os escárnios da criadagem curiosa acerca do que Me sucederia, quando já Meu Corpo estava exausto com tantos tormentos...
- O que Me consumia de amor e avivava em Mim nova sede de dores, era o pensamento de muitas almas que Eu atrairia mais tarde a seguir-Me os passos.
- Eu as via, como fiéis imitadoras de Meu Coração, aprendendo de Mim, não apenas mansidão, paciência e serena aceitação dos sofrimentos e dos desprezos, mas até o amor daqueles que as perseguiriam.
- Vi-as chegarem ao ponto de se sacrificar por eles, como Eu próprio Me sacrificava pela salvação dos que Me maltratavam.
- Vi-as:
  • amparada por Minha Graça,
  • responderem ao apelo Divino,
  • abraçarem o estado de perfeição,
  • mergulharem na solidão,
  • amarrarem-se, elas mesmas nas cadeias do amor,
  • renunciarem a tudo que amavam legitimamente,
  • suportarem com coragem as revoltas da sua própria natureza,
  • deixarem-se julgar,
  • aceitarem desprezos, difamação e mesmo serem tidas por loucas,
  • guardarem, apesar de tudo, seu coração, intimamente unido a seu Deus e Senhor.
- Assim, no meio de ultrajes e tratamentos infames, o Amor Me consumia em desejos de cumprir a Vontade do Pai e Meu coração, estreitamente unido a Ele nas horas de solidão e de dor, oferecia-se para reparar a Sua Glória.

- Também, almas religiosas que permaneceis na prisão escolhida pelo Amor e que, mais de uma vez passais aos olhos das criaturas, por inúteis e quiça prejudiciais... não temais:
  • Nas horas de solidão e dor deixai revoltar-se o mundo contra vós.
  • Una-se vosso coração mais intimamente a Deus, único Objeto de vosso amor.
  • Reparai Sua Glória ultrajada por tantos pecados.
Amanheceu
- Ao amanhecer do dia seguinte, Caifaz ordenou que Me conduzissem a Pilatos a fim de que pronunciasse contra Mim a sentença de morte.
- Pilatos interrogou-Me com sagacidade, com a esperança de descobrir um verdadeiro motivo de condenação, mas, não encontrando nenhum, sentiu logo a consciência perturbada a vista da injustiça que ia cometer. Então, para se desembaraçar de Mim, mandou-Me conduzir a Herodes.

Alma de Pilatos
- Pilatos é o tipo das almas que, balouçadas entre os impulsos da Graça e os das paixões, se deixam dominar pelo respeito humano e pelo amor excessivo de si mesma.
- Encontram-se diante de tentação ou de ocasião perigosa? Tornam-se voluntariamente cegas e raciocinam até ficarem persuadidas de que não há nisso mal nem perigo algum... que elas tem juízo bastante para decidir, e não precisam de conselho... receiam parecer ridículas aos olhos do mundo... faltam de energia para vencerem a si próprias e, passando ao lado da graça, caem de uma ocasião em outra e acabam como Pilatos, entregando-Me a Herodes.
- Quando é uma alma religiosa, não haverá talvez ocasião para ofensa grave.
- Mas, para resistir, seria preciso aceitar uma humilhação, suportar uma contrariedade.
- E se, longe de obedecer ao movimento da graça e de descobrir lealmente sua tentação, a alma consultar sua própria razão e se convencer de que não há motivo para afastar tal perigo ou recusar tal satisfação, cairá brevemente em perigo maior.
- Como Pilatos, cegará seus próprios olhos, perderá a coragem para agir com retidão e, pouco a pouco, senão rapidamente, também ela Me entregará a Herodes.

Meu Reino não é deste mundo (João 18,36)
- A todas as perguntas de Pilatos nada respondi, mas quando Me disse:
“És tu o Rei dos Judeus?”
- Então com gravidade e na plenitude de Minha responsabilidade, respondi:
“Tu o disseste, Sou Rei, mas Meu Reino não é deste mundo”
- Assim deve a alma responder com energia e generosidade, quando se apresentar ocasião de vencer o respeito humano, de aceitar algum sofrimento ou humilhação aos quais lhe seria fácil escapar.
- “Não, Meu Reino não é deste mundo” eis porque não procuro o favor dos homens.
- Vou para a minha verdadeira pátria onde me espera repouso e felicidade.
- Aqui na terra não devo fazer caso da opinião do mundo mas cumprir fielmente o meu dever.
- Se para isso precisar atravessar humilhação e sofrimento, não recuarei; escutarei a Voz da Graça.
- Se não for capaz de o conseguir sozinha, buscarei socorro e pedirei conselho, pois bem sei que o amor próprio e a paixão tentam cegar a alma para enveredá-la pelo mau caminho.
- Pilatos, pois, dominado pelo respeito humano e o receio de arcar com tamanha responsabilidade, ordenou que Me levassem a Herodes.
- Era este um homem perverso que só procurava satisfazer suas paixões desordenadas.
- Regozijou-se vendo-Me comparecer a seu tribunal, esperando divertir-se com Minhas Palavras e Meus Milagres.

“Para os puros, todas as coisas são puras;
mas para os impuros e descrentes; nada é puro:
tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas” Tito 1, 15
- Considerai, almas queridas, a repulsão que experimentei na presença daquele homem viciado e cujas perguntas, gestos e movimentos Me cobriram de confusão.
- Almas puras e virginais, vinde cercar vosso Esposo.
- Escutai os falsos testemunhos que se levantam contra Mim.
- Vede a implacável sede dessa multidão ávida de escândalos e da qual Me tornara joguete.

Quando Deus se cala
- Herodes espera que Eu responda as suas perguntas sarcásticas para Me justificar e Me defender; mas Meus Lábios não se abrem e guardo diante dele o mais profundo silêncio.
- Este silêncio era a maior prova que lhe podia das da Minha dignidade.
- As suas palavras obscenas não mereciam cruzar-se com as Minhas puríssimas.

União intima do Coração de Jesus com o Pai eterno, eu me uno a Vós
- Durante esse tempo Meu Coração estava intimamente unido a Meu Pai Celeste.
- Consumia-Me em desejo de dar, pelas almas, que tanto amo, o Meu Sangue até a última gota.
- O pensamento de todas as almas, que um dia Me seguiriam, conquistadas pelos Meus exemplos e pela Minha liberalidade, inflamava-Me em amor.
- E não só regozijava-Me durante aquele terrível interrogatório mas desejava ao suplicio da Cruz.
- Depois de ter suportado as piores ignominias no mais perfeito silêncio, deixei que Me tratassem como louco e, coberto com veste branca sinal de zombaria e irrisão, por entre gritos da multidão, fui levado novamente ao tribunal de Pilatos.
- Vê como esse homem está aturdido e apavorado.
- Não sabe que fazer de Mim e para ver se acalma a sede daquele povo que pede a Minha morte, ordena que Me flagelem.

Discernir entre ‘ser tentado’ e ‘consentir’ na tentação CIC 2847
- Assim faz a alma que não tem coragem e generosidade para romper energicamente com as exigências do mundo, da sua natureza ou das suas paixões.
- Em vez de afrontar a tentação e cortar pela raiz, como lhe pede a consciência, o que ela sabe que não vem do espírito bom:
  • Ora cede a um pequeno capricho.
  • Ora concede a si mesma alguma leve satisfação.
  • Se tenta vencer-se num ponto, capitula diante de outro que lhe custaria maior esforço.
  • Se mortifica alguns desejos, hesita em muitos outros em que deveria, para ser fiel a Graça ou obedecer a regra privar-se de muita coisa que alimenta a sensualidade e agrada a natureza.
  • Concede a si mesma a metade de um capricho, a metade do que exige a paixão, e pacifica assim o remorso da consciência.
Paixão não mortificada
- Tratar-se-á por exemplo, de divulgar uma falta que ela crê descobrir no próximo?
- Não é nem caridade fraterna, nem desejo do bem, mas uma paixão oculta, um secreto movimento de inveja que lhe inspiram essa ideia.
- A Graça e a consciência lançam então dentro dela um grito de alarme e a previnem do espírito que a guia e da injustiça que vai cometer.
- Haverá, de certo, na alma, um primeiro instante de luta, mas a paixão que ela não mortificou priva-a brevemente de luz e de coragem para repelir a ideia diabólica.
- Então inventa um meio para só calar uma parte do que sabe, mas não tudo; e ela se desculpa diante de si mesma:
“É preciso que se saiba... só direi uma palavra...”
- Assim é que Me abandonas, como Pilatos para ser flagelado.
- Dentro em pouco, essa paixão te obrigará a terminar sua obra.
- Não penses acalmar assim tua sede.
- Hoje deste um passo, amanhã irás mais longe.
- E, tendo cedido numa pequena ocasião, com quanto mais razão cederá diante de grave tentação.

A Flagelação
- E agora, contemplai, almas caríssimas a Meu Coração, como Me deixei conduzir com mansidão de cordeiro, ao terrível suplicio da flagelação.
- Sobre Meu Corpo, moído de pancadas e alquebrado de cansaço, os verdugos descarregam cruelmente açoites e chicotes.
- Todos os Meus ossos são abalados com a mais terrível dor, feridas sem conta Me estraçalham.
- De Minha Carne Divina lá se vão pedaços arrancados pelos açoites.
- O Sangue jorra de todos os Meus Membros e em breve fico reduzido a tão lastimável estado que não tenho mais aparência de homem.
- Ah, como podeis contemplar-Me neste oceano de amargura sem que vosso coração se compadeça de Mim?
Não pertence aos algozes consolar-Me,
mas a vós, almas escolhidas, para aliviar a Minha Dor.
- Contemplai as Minhas feridas e vede se tem quem tenha sofrido tanto para vos provar seu amor.

O instrumento contempla Jesus Flagelado
- E, dirigindo-se a Josefa, Jesus continua:
“Contempla-Me nesse estado de ignominia”
- Jesus se cala e ela ergue os olhos para o Mestre.
- Ali está, diante dela, naquele lamentável estado em que o pusera a flagelação, Ele a mantém longo tempo diante da dolorosa contemplação como que para lhe imprimir para sempre na alma.
  • “Dize-Me se Minhas Feridas não te darão força para te venceres e resistires a tentação”
  • Dize-Me se não te encontrarás generosidade para te sacrificares e te entregares totalmente a Minha Vontade”
  • “Sim, olha para Mim e deixa-te guiar pela graça e pelo desejo de Me consolares neste estado de vitima.”
  • “Não temas. Teu sofrimento jamais igualará ao Meu e Minha Graça te assistirá em tudo o que Eu te pedir.”
  • “Adeus. Conserva-Me assim em teus olhos.”
Os efeitos da Mensagem de Amor e da contemplação
- Então o Senhor desaparece. Josefa continua imóvel, com os olhos fechados e uma indizível emoção gravada no rosto.
- Envolve-a impressionante silêncio.
- Pouco a pouco volta a si... não pode falar... com a mão trêmula, escreve:
- Mostrou-se no estado em que O deixaram depois da Flagelação, e esta visão me encheu de tanta compaixão que me parece que ora em diante terei coragem para sofrer o que for até o fim de minha vida.
- Dor nenhuma chegará perto sequer da Sua Dor.
- O que mais me impressionou foram Seus Olhos que são habitualmente tão belos e cujo Olhar tanto me fala a alma... hoje, estavam fechados, muito inchados e ensanguentados, principalmente o Olho direito.
- Os Cabelos cheios de Sangue caiam-lhe sobre o Rosto, sobre os Olhos e sobre a Boca.
- Estava em Pé mas curvado e atado a alguma coisa, mas eu não via senão a Ele.
- Suas Mãos estavam amarradas uma a outra, a altura da cintura e cobertas de Sangue.
- Seu Corpo sulcado de feridas e manchas roxas com as veias dos braços inchadas e quase pretas.
- Do Ombro esquerdo pendia um pedaço de Carne s destacar-se e também de várias outras partes do Corpo.
- As Vestes estavam a Seus Pés rubras de Sangue.
- Uma corda muito apertada segurava a altura da Cintura um pedaço de pano Ensanguentado que não se lhe podia ver a cor.
- Não posso dizer em que estado O vi... não sei exprimi-lo.

17.março.1923 (397-409)
“Apelo ao Amor” A mensagem do Coração de Jesus ao Mundo e Sua Mensageira Irmã Josefa Menéndez da Sociedade do Sagrado Coração.

Veja também: