quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Maria, caminho fácil, curto e perfeito.

Esta Devoção conduz à união com Nosso Senhor
§152. Quinto motivo. Esta Devoção é um caminho fácil, curto, perfeito e seguro para chegar à união com Deus, na qual consiste a perfeição cristã.

Caminho Fácil
- É um caminho fácil que Jesus Cristo abriu ao vir até nós, e onde não se encontra obstáculo algum para chegar até Ele. Pode-se, na verdade, chegar à união divina por outros caminhos, mas será por muito mais cruzes e mortes misteriosas, com muito mais dificuldades, que só a custo serão vencidas. 
- Será preciso passar por noites escuras, por combates e agonias misteriosas, por cima de montanhas escarpadas, por cima de espinhos muito agudos e por desertos horríveis.
- Mas pelo caminho de Maria passa-se mais suave e tranquilamente. 
- Também aqui se encontram, é certo, rudes combates a travar e grandes dificuldades a vencer. 
- Mas esta boa Mãe e Senhora torna-se tão presente e tão próxima dos Seus fiéis servos para os iluminar nas suas trevas, esclarecer nas suas dúvidas, confirmar no meio dos seus temores, sustentar nas lutas e dificuldades, que este caminho virginal para encontrar Jesus Cristo é realmente um caminho de rosas e mel à vista dos outros. 
- Houve alguns santos, mas em pequeno número, como S. Efrém, S. João Damasceno, S. Bernardo, S. Bernardino, S. Boaventura, S. Francisco de Sales etc., que passaram por este caminho ameno para ir a Jesus Cristo. O Espírito Santo, Esposo fiel de Maria, tinha-lho indicado por uma graça singular. 
- Os outros santos, porém, que são em maior número, embora todos tenham sido devotos da Santíssima Virgem, não entraram, ou entraram muito pouco, nesta via. Foi por isso que sofreram provas mais rudes e perigosas.

§153. Mas então donde vem, dir-me-á algum fiel servo de Maria, que os servos fiéis desta boa Mãe têm tantas ocasiões de sofrer, e mais até do que outros que d'Ela não são tão devotos?
- Contradizem-nos, perseguem-nos, caluniam-nos, não os suportam; ou, ainda, caminham em trevas interiores e por desertos onde não há a mínima gota do orvalho celeste. Se esta Devoção à Santíssima Virgem torna mais fácil o caminho que conduz a Jesus Cristo, donde vem que sejam eles os mais crucificados?

§154. Respondo-lhes: É bem verdade que os mais fiéis servos da Santíssima Virgem são os Seus maiores favoritos. Por isso são eles que recebem d'Ela as maiores graças e favores do Céu, a saber, as cruzes. 
- Mas sustento que são também os servos de Maria que levam essas cruzes com mais facilidade, com maior mérito e glória. Aquilo que deteria mil vezes outras almas, ou as faria cair, não os detém nem uma só vez e faze-os avançar. É que esta Mãe, toda cheia de graça e de unção do Espírito Santo, adoça todas estas cruzes que lhes prepara, no mel da sua Doçura Materna e na unção do Puro Amor. 
- Deste modo eles recebem-nas alegremente como nozes cobertas de açúcar, ainda que em si sejam muito amargas. Uma pessoa que deseja ser devota e viver piedosamente em Jesus Cristo, consequentemente há de sofrer perseguição e levar todos os dias a sua Cruz (Lc 9, 23). Julgo que tal pessoa nunca levará grandes cruzes ou não as levará alegremente, nem até o fim, sem possuir uma terna devoção à Santíssima Virgem, que é a doçura das cruzes. 
- Do mesmo modo ninguém poderá comer, sem se fazer grande violência, que não será muito duradoura, nozes verdes que não sejam adoçadas em açúcar.

Caminho Curto
§155. Esta Devoção à Santíssima Virgem é um caminho curto para encontrar Jesus Cristo, quer porque ninguém se perde nele, quer porque, como acabo de dizer, se avança por ele com mais alegria e facilidade e, portanto, com mais prontidão. 
- Avança-se mais, em pouco tempo de submissão e dependência para com Maria, que durante anos inteiros de vontade própria e de apoio em si mesmo. 
- Pois o homem obediente e submisso a Maria Santíssima cantará vitórias notáveis sobre todos os seus inimigos (Pr 21, 28). 
- Quererão estes impedi-lo de caminhar, fazê-lo recuar ou cair, é verdade. Mas, com o apoio, a ajuda e a guia de Maria, sem cair, sem recuar e mesmo sem se atrasar, avançará a passos de gigante para Jesus Cristo, pelo mesmo caminho por onde, como está escrito, Jesus veio até nós a passos de gigante e em pouco tempo (Sl 18, 6).

§156. Por que julgais que Jesus Cristo viveu tão pouco tempo na Terra e que, nos poucos anos que nela passou, viveu quase sempre em submissão e obediência à sua Mãe? Ah! É que, tendo morrido cedo, viveu muito (Sb 4, 13) e muito mais que Adão, cujas perdas vinha reparar, embora este vivesse mais de novecentos anos. E Jesus Cristo viveu muito porque viveu bem unido e submisso à sua Santa Mãe, para obedecer a Deus seu Pai.
- E é assim pelas seguintes razões:
1ª. Aquele que honra sua mãe é semelhante ao homem que ajunta tesouros, como diz o Espírito Santo. Isto é, aquele que honra Maria, sua Mãe, até se submeter a Ela, a obedecer-lhe em todas as coisas, tornar-se-á em breve muito rico, pois amontoa diariamente tesouros, por esta pedra filosofal:
“Como quem acumula tesouros, assim é aquele que honra sua mãe” (Eclo 3, 5).
2ª. É no seio de Maria, que encerrou e gerou um homem perfeito e que pôde conter Aquele que nem o universo inteiro pode compreender nem conter, é no seio de Maria, digo, que os jovens se tornam velhos anciãos em luz, em santidade, em experiência e em sabedoria, e que atingem em poucos anos a plenitude da idade de Jesus Cristo. Isto baseia-se numa interpretação espiritual da seguinte palavra do Espírito Santo:
“A minha velhice está na misericórdia do seio” (Sl 91, 11).

Caminho Perfeito
§157. Esta prática de Devoção à Santíssima Virgem é um caminho perfeito para ir e para se unir a Jesus Cristo, porque Maria Santíssima é a mais perfeita e a mais Santa das puras criaturas, e Jesus Cristo, que veio a nós de maneira perfeita, não escolheu outro caminho para a sua grande e admirável viagem.
- O Altíssimo, o Incompreensível, o Inacessível, Aquele que é, quis vir a nós, pequeninos vermes da Terra, que nada somos. E como se fez isto?
- O Altíssimo desceu perfeita e divinamente até nós por meio da humildade de Maria, sem nada perder da sua divindade e santidade. É igualmente por Maria que os pequeninos devem subir, perfeita e divinamente, ao Altíssimo, sem nada temer.
- O Incompreensível deixou-se compreender e conter perfeitamente pela humilde Maria, sem nada perder da sua imensidade. É por Maria que nos devemos deixar conter e conduzir perfeitamente, sem nenhuma reserva.
- O Inacessível aproximou-se, uniu-se estreitamente e até pessoalmente à nossa humanidade por intermédio de Maria, sem nada perder da sua majestade. É por Maria que nos devemos aproximar de Deus e unir-nos à Divina Majestade perfeita e estreitamente, sem receio de sermos repelidos.
- Enfim, Aquele que é quis vir ao que não é, e fazer que o que não é se transforme em Deus ou naquele que é. Deus fê-lo perfeitamente, dando-se e submetendo-se inteiramente à jovem Virgem Maria, sem deixar de ser, no tempo, Aquele que é desde toda a eternidade. 
- É ainda por Maria que nos podemos tornar semelhantes a Deus pela graça e pela glória, embora nada sejamos. Basta entregarmo-nos a Ela tão perfeita e inteiramente que já nada sejamos em nós mesmos, mas tudo n'Ela, sem receio de nos enganarmos.

§158. Abram-me um caminho novo para ir a Jesus Cristo, calcetado com todos os méritos dos bem-aventurados, ornado com todas as suas virtudes heróicas, iluminado e enfeitado com a luz e a beleza de todos os anjos, e que os anjos todos e os santos nele se encontrem para conduzir, defender e sustentar aqueles e aquelas que por ele queiram seguir. 
- Com certeza absoluta, digo-o ousadamente, e digo a verdade: eu escolheria, de preferência a este caminho tão perfeito, o caminho imaculado de Maria (Sl 17, 33), caminho sem nódoa alguma nem defeito, sem pecado original nem atual, sem sombras nem trevas. E quando o meu amável Jesus vier segunda vez à Terra, em sua glória, (como é certo), para aqui reinar, não escolherá outro caminho para a sua vinda, senão Maria Santíssima, por quem veio tão segura e perfeitamente primeira vez. 
- A diferença que há entre a primeira e a última vinda é que a primeira foi secreta e escondida, e a segunda será gloriosa e triunfante; mas são ambas perfeitas, pois ambas por intermédio de Maria. Ai! Eis um mistério que não se compreende:
“Que toda a língua aqui emudeça!”
Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria

São Luis Maria Grignion de Monfort

Nenhum comentário:

Postar um comentário