terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Vontade: porta de entrada da alma

- A VONTADE, constitui como que a porta de entrada da alma, não permito que se abra ante os inimigos; seja os demônios como os demais adversários poderão penetrar por outros setores, mas não pela VONTADE, que é a porta principal da cidade da alma.
- Como defensor está o LIVRE ARBÍTRIO.
- Só ele pode deixar ou não que alguém passe.
- As portas que dão ingresso ao interior do homem são muitas.
- As principais são as três potências:
  • a MEMÓRIA,
  • a INTELIGÊNCIA, e
  • a VONTADE.
- Delas, somente uma abre quando quer e serve de defesa para as outras:
é a VONTADE.
- Com sua permissão, o primeiro inimigo a entrar é o EGOISMO.
- Os outros vêm depois:
  • a INTELIGÊNCIA se obscurece;
  • a MEMÓRIA dá acolhida ao ódio, que faz lembrar as ofensas recebidas e se opõe á caridade pelo próximo; a MEMÓRIA recorda, também, os prazeres ilícitos.

- Depois de abertas essas portas, escancaram-se os portões dos SENTIDOS (audição, visão, olfato, paladar, tato), que refletem em si o amor desordenado e as más ações:
- O OLHO ocupa-se em ver coisas que não deve; por sua volubilidade, vaidade, desonestidade e trejeitos, captam a morte para a própria pessoa e para os demais.
Ó olho infeliz! Eu te fiz para ver o céu, as belezas da criação, meus mistérios, e tu te fixas na lama, na baixeza, á procura da morte!

- O OUVIDO compraz-se em assuntos desonestos ou fica á espreita de noticias, a fim de emitir julgamentos.
No entanto, eu o dei ao homem para escutar minha palavra e tomar conhecimento das necessidades alheias.

- Quanto a LÍNGUA, criei-a para anunciar a palavra, confessar as culpas e promover a salvação dos homens; mas dela serve-se a pessoa para reclamar de mim, seu criador, e para prejudicar o próximo. Murmura contra ele diz que suas ações são más e blasfemas, dá falso testemunho, põe em perigo a si mesmo e os demais com palavras desonestas, diz frases ofensivas que, como punhais, ferem os corações, provocando raiva. Como são numerosos os pecados - homicídios, desonestidades, rancores, ódio, perda de tempo – provocados pela língua.

- O OLFATO também peca por desordenado prazer em sentir em sentir perfumes; se for cheiro de alimento, dá origem à gula e à insaciável procura de comida, seja pela quantidade, seja pela qualidade, a fim de satisfazer o estômago. Quem abre este portão da alma, infelizmente não percebe que a gula incentiva a sensualidade e conduz à corrupção.

- AS MÃOS foram feitas para prestar serviço ao próximo e socorrê-lo com esmolas, mas são usadas para furtar e praticar ações desonestas.

- OS PÉS têm a função de conduzir o homem a lugares santos e úteis, seja para si como para os outros, com vistas a minha glória e louvor; no entanto são usados para ir-se a lugares escusos, onde conversas e divagações corrompem as pessoas.

- Recordei tudo isso, filha querida, para que possas chorar ao ver a cidade da alma em tão grave situação, a fim de chorar ao ver a cidade da alma em tão grave situação, a fim de que sintas o mal que entra no homem pela porta principal da vontade.
- Como disse antes, não permito que os males entrem livremente no homem pela vontade, mas podem fazê-lo pelas outras faculdades.
* Consinto que a inteligência seja invadida por pensamentos ruins;
* Que a memória pareça esquecer-se de mim, que todos os sentidos se vejam sacudidos por lutas diversas.
- As vezes, até o fato de olhar, ouvir, adorar e procurar coisas santas, estremece o homem com sentimentos de desonestidade e corrupção. Tudo isto, porém, não produz a morte da alma, de minha parte não quero tal morte; só mesmo se a pessoa a quiser, livremente.
- Todas essas sensações ficam na periferia da cidade da alma, não penetram em seu interior. A menos, repito, que a pessoa o queira.
- Qual o motivo por que deixo o homem cercado por tantos inimigos? Certamente, não para que perca a graça; mas para que veja quanto sou misericordioso.
- Quero que confie em mim, não em si mesmo; que se refugie em mim e não seja negligente.
- Sou seu defensor, o Pai Bondoso que deseja sua salvação.
- Quero recordar-lhe: de mim recebeu o ‘ser’ e os demais benefícios.
Sou a sua vida.

Dureza do coração
- Enquanto se acham nesta vida e possuem a liberdade, os duros de coração, poderão invocar o sangue do meu Filho e derramá-lo sobre o próprio coração; então Cristo o romperá e elas receberão o fruto do sangue.
- Mas se demorarem, o tempo oportuno se esgotará. Já não haverá remédio, porque não aproveitaram o dom que lhes dera eu através da:
* MEMÓRIA, para se recordarem dos benefícios recebidos;
* INTELIGÊNCIA, para conhecerem a Verdade;
* VONTADE, para me amarem como herança eterna.

- Sim, esse é o dom que vos entreguei e que deve voltar as minhas mãos paternas.
- Quando o homem vende ou dá ao demônio tal presente, então passa a caminhar com o maligno e leva consigo o que adquiriu na vida, ou seja:
* MEMÓRIA cheia de recordações desonestas, de orgulho, de amor-próprio, de ódio e desprezo pelos outros, qual perseguidor dos meus servidores fiéis.

(Diálogo-Santa Catarina de Sena,pg34; 326 e msm04.03.81; 16.03.85 e conf.Apocalipse 2 e 3; 2,23)

Nenhum comentário:

Postar um comentário