Mostrando postagens com marcador Mansidão. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Mansidão. Mostrar todas as postagens

domingo, 24 de janeiro de 2021

Deus está conosco

 

Deus está conosco

- Um Grande Silêncio envolve o mundo.

- As trevas cobrem todas as coisas.

- Os corações velam na Oração e na espera.

- Um sentimento de Esperança confiante abre de par em par as portas fechadas pelo Ódio e pelo Egoísmo.

- As forças do inferno sentem-se improvisamente dominadas por uma Nova Força de Amor e de Vida.

- No meio das trevas acende-se um clarão.

- No Silêncio ouvem-se harmonias de Cânticos Celestes.

- No Céu aparece improvisadamente uma Grande Luz.

- É a Noite Santa.

- Esta Luz envolve agora a pobre cabana, onde está para se realizar o maior evento da história.

- A Mãe Virgem vos dá o Seu Menino, que nasce pobre e indefeso, tremendo e necessitado de tudo, chorando e tenro como um cordeiro, que deixa transparecer, já no Seu Pequeno Corpo, o Grande Mistério da Mansidão e da Misericórdia.

- A partir desta Noite a Vida de cada homem passa a ter um Novo Sentido, porque o Pequeno Menino que nasce é também o Seu Deus.

- E Homem como vós e é Deus convosco.

- É o Emanuel profetizado desde há séculos.

- É vosso Irmão.

- É o Coração do mundo.

- É o bater duma Vida Imortal.

- É a caricia sobre todo o Sofrimento humano.

- É a vitória sobre toda a derrota.

- É o Bálsamo sobre a chaga do Egoísmo, do Ódio e do Pecado.

- É a Luz que resplandece para sempre para quem Caminha nas trevas.

- É a Única Esperança deste mundo transviado.

- Como voz preocupada de Mãe, que ouve milhares de vozes que ainda O rejeitam e ouve com assombro milhares de portas que ainda se fecham, repito-vos:

Não temais: Deus está convosco.

- Hoje nasceu para vós um Salvador.

- Com o Coração ferido por tanto gelo que ainda cobre os Caminhos do mundo e com a alma desolada pela Grande Rejeição de Deus, que transformou a terra num imenso Deserto, perante tão vasto desespero, repito-vos:

Não temais: Deus está convosco.

- Está convosco sobretudo hoje, que sois chamados a viver os Dolorosos momentos em que parece que o Meu adversário domina no mundo, ao espalhar o seu veneno de morte no coração dos homens.

- Perante tanto Sofrimento, que não pode ser aplacado;

perante a Grande Escravidão, que não se pode eliminar;

perante situações de Injustiça, que não se conseguem curar;

perante perigos de Guerras, que não se podem deter;

perante ameaças Sangrentas, que pairam cada vez mais fortes;

eis a Mensagem que brota do Meu Coração Imaculado nesta Noite Santa, como Esperança e conforto para todos:

Não temais: Deus está convosco.

- Assim o Verbo do Pai Se serviu do Meu Humilde “sim” para a Sua Primeira Vinda a vós, na fragilidade da natureza humana;

assim também o Meu Filho Jesus Se serve agora do Meu anúncio profético para preparar a Sua Segunda Vinda a vós, na Glória.

- Não temais, filhos tão expostos aos perigos.

- Com o Triunfo do Meu Coração Imaculado, Jesus manifestar-Se-á a vós no Seu Glorioso Reino de Amor e de Paz.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 24.12.82

Clique aqui e veja também:

No Templo do Meu Coração Imaculado

Voltai ao vosso Redentor

A Marca na fronte e na mão

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Dúvidas e perplexidades

 

Dúvidas e perplexidades

- Não vos deixeis surpreender, filhos prediletos, porque o Meu adversário faz de tudo para impedir esta Minha obra.

- A sua arma preferida é insinuar dúvidas e perplexidades sobre aquilo que Eu mesma estou operando na Igreja.

- Procura fundamentar estas dúvidas com razões que, aparentemente, parecem sólidas e justas.

- Leva assim a uma atitude de critica em relação a tudo aquilo que vos digo, antes ainda de acolherdes e compreenderdes as Minhas Palavras.

- Acontece-vos ouvir alguns vossos irmãos culturalmente preparados, as vezes até especialistas e mestres em ciências teológicas, que rejeitam tudo o que vos digo, porque filtram com a sua mente, já cheia da sua riqueza cultural, todas as Minhas Palavras.

- Assim encontram dificuldades insuperáveis precisamente naquelas frases que são tão claras para os Simples e Pequeninos.

- A Minha Palavra só pode ser compreendida e acolhida por quem tem a mente humilde e disposta,

por quem tem o coração simples,

por quem tem olhos límpidos e puros.

- Quando a Mãe fala as Suas Crianças, elas ouvem-na, porque a amam, fazem tudo o que Ela diz e assim crescem no conhecimento e na vida.

- Não podem ser seus filhos os que a criticam ainda antes de a ouvir, os que rejeitam tudo o que Ela diz antes de o pôr em prática.

- Estes, ainda que aumentem na ciência, não podem crescer na Sabedoria e na Vida.

- Digo-vos isto para que não vos perturbeis se ouvis que até doutores e mestres encontram dificuldades em acolher as Minhas Palavras, ao passo que tudo é muito claro e simples para aqueles que Eu chamo a ser pequeninos.

- Olhai para esta vossa Mãe Celeste, que sabe bem onde e como vos conduzir, para que se cumpra o desígnio do Seu Coração Imaculado.

- Não vos deixeis nem desanimar nem surpreender pelas dúvidas e perplexidades, as quais poderão até aumentar mas não poderão, no entanto, prejudicar em nada esta Minha Grande Obra de Amor.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 29.10.77

Clique aqui e veja também:

Minha Palavra

Minha Propriedade

Minhas Mensagens

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

O deserto onde Me retiro

 


O deserto onde Me retiro

- Hoje Eu te quis aqui, em Fátima para concluir os Cenáculos que pudeste realizar durante este ano em todas as partes da Europa.

- Acolhi a vossa generosa resposta que Me destes em toda a parte, filhos.

- Esta é a minha hora.

- É também a hora da vossa batalha, porque se tornará cada vez mais manifesta a ação vitoriosa da Celeste Comandante, “A Mulher vestida de sol”.

- Mas devo permanecer retirada no Deserto ainda pela “metade de um tempo”.

- Aqui Eu opero os maiores prodígios, no silêncio e no escondimento.

- O Deserto onde Me retiro sois vós, filhos consagrados ao Meu Coração Imaculado,

é o vosso coração, tornado árido por causa de tantas feridas, num mundo em que se alastra a rebelião contra Deus e contra a Sua Lei, marcado pelo ódio e pela violência que se estende de maneira ameaçadora.

- O vosso coração que se tornou árido, as vossas almas sedentas, filhos:

eis o lugar onde a Mãe Celeste põe agora o seu refúgio.

- Graças a minha presença, este Deserto transforma-se em jardim, cultivado por Mim com particular cuidado.

- Todos os dias rego a aridez do vosso coração com a ternura do meu amor imaculado,

a aridez das vossas almas com a Graça de que estou repleta porque, como Mãe, devo distribui-la a todas as minhas crianças.

- Depois enfaixo as vossas feridas com o bálsamo celeste, torno a limpar-vos ajudando-vos a libertar-vos cada vez mais dos pecados, dos vossos numerosos defeitos e apegos desordenados.

- Deste modo, preparo e torno fecundo o terreno do meu jardim.

- Em seguida, semeio nele o amor pelo meu Filho Jesus, para que possa germinar e florescer de maneira cada vez mais perfeita e luminosa;

e no seu Espírito de Amor, abro-vos ao sol da complacência do Pai, de maneira que a Santíssima Trindade possa resplandecer e refletir-Se na celeste morada, construída no Meu Coração Imaculado.

- Cresceis assim cultivados por Mim como pequenas flores que se abrem para cantar só a glória de Deus e difundir por toda a parte o esplendor do seu amor.

- Dou-vos também as cores e o perfume das minhas virtudes:

A oração,

A humildade,

A pureza,

O silêncio,

A confiança,

A pequenez,

A obediência e

O perfeito abandono.

- Vós cresceis e vos desenvolveis, enquanto transformo cada dia o vosso deserto no jardim mais belo, guardado ciosamente por Mim.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 29.06.80

Clique aqui e veja também:

Virtudes e tentações

Aridez espiritual - Consolações

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Mansidão na ira

            Sejamos mansos com todos, superiores e inferiores, pessoas distintas e pessoas simples, parentes e estranhos, mas principalmente com os pobres e doentes, e mais especialmente ainda com aqueles que nos veem com maus olhos.

            Ao repreendermos as faltas alheias, a mansidão de nossas palavras é melhor do que todos os outros meios e arrazoados.
Por isso não o façamos quando estivermos encolerizados, porque sempre a repreensão sairá amarga, seja no que dizemos, seja o modo de dizê-lo.
Mas não repreendamos também uma pessoa irritada. A correção serviria mais para a exasperar do que para fazê-la cair em si.


A Prática de amor a Jesus Cristo | Santo Afonso Maria de Ligório

domingo, 6 de abril de 2014

Coração Vazio (Santo Afonso)

Coração Vazio
7. O amor de Deus entra e preenche um coração vazio de todo o afeto as criaturas.
- S.Tereza: “Afastai os olhos das más ocasiões e logo a alma se volta para Deus” É verdade, porque nenhuma pessoa pode viver sem amar; ou ama o Criador ou ama as criaturas. É preciso deixar tudo para ganhar tudo: “O todo pelo todo”
- S.Tereza enquanto alimentava certo afeto, honesto, para com um seu parente, não era ainda toda de Deus. Quando depois teve coragem e rompeu aquele laço, sentiu como se Jesus lhe dissesse: “Tereza, agora você é toda minha e eu sou todo seu”
- É pouco demais só um coração para amar a Deus que ama tanto e é tão capaz de ser amado, merecedor de um amor infinito. Como então ainda dividir este coração entre as criaturas e o Criador? O venerável Luis da Ponte envergonhava-se de dizer a Deus: Senhor, eu vos amo acima de tudo, mais do que as riquezas, honras, amigos, parentes. Parecia-lhe dizer a Deus: Senhor, eu vos amo mais do que o lodo, mais do que a fumaça, mais do que os vermes da terra”

            8. Deus é todo bondade para aqueles que o buscam: “O Senhor é bom para quem o procura”, isto é, para a pessoa que só deseja a Deus. Feliz perda e feliz conquista! Perder as coisas mundanas que não satisfazem o coração e acabam rapidamente, para conquistar a suma e eterna felicidade, Deus!
- Conta-se que um príncipe viu um homem piedoso num lugar deserto, como quem procura alguma coisa. Surpreendido de o ver assim vagando, perguntou-lhe quem ra e o que estava fazendo. Ele lhe respondeu:
            - E o Senhor, o que está fazendo neste deserto?
            - Eu? Eu amo a caça de animais.
            - Eu –respondeu-lhe o solitário- ando a caça de Deus.
- Dizendo isso, continuou para frente e seguiu o seu caminho.
- Este deve ser, ainda nesta vida, nosso único pensamento, nosso único propósito: procurar a Deus para amá-lo, conhecer sua vontade para cumpri-la, afastando do coração todo o afeto as criaturas.
- Quando se apresentar diante de nós algum bem da terra para atrair nosso amor, estejamos prontos para lhe dizer: “Renunciei, por amor a Jesus Cristo, a todas as grandezas deste mundo e a todas as suas ilusões. O que são todas as dignidades e grandezas deste mundo, senão fumaça, lodo e vaidade que desaparecem com a morte? Feliz daquele que pode dizer: “Jesus, deixei tudo por seu amor. Você é o meu tudo, só você me basta.”

Amor que purifica
            9. Quando o amor de Deus se apossa totalmente de uma pessoa, ela –ajudada pela graça- procura por si mesma desfazer-se de todas as coisas que lhe dificultam ser inteiramente de Deus.
- S.Francisco Sales diz que quando uma casa esta em chamas, jogam-se pela janela todos os móveis. Quando alguém se dá inteiramente a Cristo, procura desprender-se de todo o apego as coisas da terra, sem precisar das exortações dos padres quando pregam ou confessam.
- Pe.Segneri Jr dizia que o amor de Deus é um ladrão que nos tira tudo, para só nos fazer possuir Deus. Certo homem tinha renunciado a seus bens e era pobre por amor de Jesus Cristo. Perguntou-lhe, então, um amigo como se tinha reduzido a tamanha pobreza. Ele tirou do bolso o livro do Evangelho e lhe disse: “Aqui está, isto é que me despojou de tudo”.
- “Se um homem der todas as riquezas de sua casa por amor, ele as desprezará como se não tivesse dado nada” Realmente quando alguém coloca toda a sua afeição em Deus, despreza tudo: riquezas, prazeres, dignidades, autoridade, reinos, não querendo nada senão a Deus. Diz e repete sempre: “Meu Deus, só a vós quero e nada mais”
- S.Francisco Sales: “O amor puro de Deus consome tudo o que não é de Deus para transformar tudo nele, pois tudo o que faz por amor de Deus é amor”

            10. “O Rei introduziu-me na adega de vinho e ordenou em mim a caridade” Esta adega de vinho, explica S.Tereza, é a amizade de Deus que, tomando conta de um coração, o faz ficar fora de si, esquecido de todas as criaturas.
- Um homem embriagado é como um morto nos sentidos, não vê, não ouve, não fala. Uma alma embriagada de Deus é também assim: quase não sente as coisas do mundo, não quer pensar nem falar senão de Deus, não tem outro interesse senão amar e agradar a Deus. No livro dos Cânticos, o Senhor ordena que não se acorde sua esposa que está dormindo: “Eu vos suplico... não perturbeis o descanso de minha amada, nem a façais despertar” Ct 2,7 Este sono feliz, explica S.Basilio, experimentado pelas almas esposas de Jesus Cristo não é outra coisas “Senão o esquecimento completo de tudo” é o esquecimento virtuoso e voluntário de todas as criaturas para pensar só em Deus e poder dizer: “Meu Deus e Meu Tudo”

A vocação
            12. Tratando-se da escolha de nossa vocação, não somos obrigados a obedecer a nossos pais. Se um jovem é chamado a vida religiosa e seus pais se opõem, é obrigado a obedecer a Deus e não aos pais que, por interesse ou motivos particulares, prejudicam seu bem espiritual. “Frequentemente, os parentes impedem a perfeição espiritual”, preferem até que os filhos se percam a deixarem a sua casa.

            13. Nesse assunto, como é estranho ver certos pais e mães, mesmo tementes a Deus, mas enlouquecidos pela paixão, se esforçarem por impedir a vocação religiosa de seus filhos. Não deixam de empregar todos os meios para isso. A não ser em algum caso raríssimo, eles não podem se isentar de um pecado mortal. Mas dirá alguém:
- Então, se esse jovem não se fizer religioso, não pode se salvar? Sendo assim, todas as pessoas que ficam no mundo se condenam?
Respondo:
- Aqueles que não são chamados por Deus a vida religiosa, salvar-se-ão no mundo, cumprindo as obrigações de sua vocação. Mas os que são chamados e não obedecem a Deus, poderiam sim, salvar-se, mas dificilmente se salvarão. Isto porque lhes faltarão aqueles auxílios especiais que o Senhor lhes tinha preparado na vocação religiosa. Sem esses auxílios não conseguirão salvar-se. Diz o teólogo Habert que quem não obedece a vocação de Deus, fica na Igreja como um membro fora do seu lugar. Dificilmente poderá cumprir sua missão e, portanto, alcançar a salvação:
“Não poderá, sem grandes dificuldades, cuidar da sua salvação” e conclui: “Ainda que absolutamente possa se salvar, contudo, dificilmente tomará o caminho do céu e usará dos meios da salvação.

A Prática de amor a Jesus Cristo Cap XI– Santo Afonso Maria de Ligório

Sequência da postagem “Desprendimento”

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2014

Mansidão

Quem ama a Jesus, ama a Mansidão
1. O espírito de Mansidão é próprio de Deus. “Meu espírito é mais doce do que o mel” Eclo 24,27. A pessoa que ama a Deus, ama a todos os que são amados por Deus, isto é, todos os homens. Por isso procura sempre socorrer, consolar, contentar a todos na medida do possível.
- S.Francisco Sales, o mestre e modelo da mansidão diz: “A humilde mansidão é a virtude das virtudes que Deus tanto nos recomendou. É necessário praticá-la sempre e em toda parte”. Dá-nos ainda a seguinte regra: “Quando vedes alguma coisa que se pode fazer com amor, fazei-o; o que não se pode fazer sem discussões, deixai-o” isso se refere ao que podemos deixar sem ofender a Deus, porque, quando existe ofensa a Deus, esta deve ser impedida sempre e depressa por aquele que é obrigado a impedi-la.

2. A mansidão deve ser praticada especialmente com os pobres, os quais normalmente, por causa da sua pobreza, são tratados asperamente pelos homens. Deve-se ainda usar da mansidão particularmente com os doentes que se encontram aflitos e, as mais das vezes, recebem pouco cuidado dos outros. Devemos exercer a mansidão principalmente com os inimigos. É preciso “vencer o mal com o bem” Rm 12,21, isto é, o ódio com o amor, a perseguição com a mansidão. Assim fizeram os santos e por este meio conseguiram o afeto de seus maiores inimigos.

3. S.Francisco Sales, diz: “Não há nada que tanto edifique o próximo com a caridosa benignidade no trato”. Ele tinha ordinariamente o sorriso nos lábios. Sua aparência, suas palavras, suas maneiras respiravam mansidão.
- S.Vicente de Paulo afirmava jamais ter conhecido um homem mais manso, parecendo-lhe ver a imagem viva da bondade de Jesus Cristo. Mesmo quando sua consciência o obrigava a negar alguma coisa, o santo mostrava tanta benevolência com as pessoas, que elas iam embora contentes, embora não tivessem obtido o que desejavam. Era manso para com todos, com os superiores e com seus iguais, com seus inferiores, com as pessoas de casa e de fora. Era bem diferente dos que, segundo sua expressão, parecem anjos na rua e demônios em casa. No trato com seus empregados, não se queixava nunca de suas faltas; advertia-os apenas e sempre com bondade. Coisa muito louvável em todos os superiores!
- O superior deve usar de toda mansidão com os seus súditos. Ao lhes impor alguma coisa, deve antes pedir que mandar.
- S.Joana de Chantal disse: “Experimentei todos os meios de governar e não encontrei nenhum melhor do que o modo bondoso e paciente”.

A Bondade e a Mansidão
4. O superior deve mostrar-se benigno mesmo nas repreensões que tem a fazer. Uma coisa é repreender com energia e outra repreender com aspereza. É preciso, as vezes, repreender com energia, quando a falta é grave, principalmente em caso de repetição da falta e depois de a pessoa ter sido avisada. Mas evitemos repreender com aspereza e com raiva; quem repreende com raiva faz mais mal do que bem. Esse é o zelo errado que S.Tiago reprova. Há quem se glorie de dominar assim sua família ou comunidade, e pensa que é assim que se deve governar. S.Tiago não pensa assim: “Se tendes zelo amargo, não vos glorie”.
- Se em algum caso raro houvesse necessidade de dizer uma palavra áspera para que alguém percebesse a gravidade de seu erro, é preciso temperar a dureza, terminando com alguma palavra mais mansa. É preciso curara as feridas, a exemplo do bom samaritano, com vinho e óleo.
- S.Francisco Sales dizia: “Assim como o óleo fica boiando quando despejado num copo d’agua, assim em todos os nossos atos deve ficar por cima a bondade”. Se a pessoa a ser repreendida está alterada, convém deixar a repreensão para outra hora e esperar que passe a raiva, caso contrário mais a irritaríamos. “Quando uma casa pega fogo não se deve jogar mais lenha na fogueira”

5. “Não sabeis de que espíritos sois”. Foi esta a resposta que Jesus deu a seus discípulos Tiago e João, quando eles queriam que fossem castigados os samaritanos, que os tinham expulsado da sua cidade:
- Que espírito é esse? Não é o meu! O meu espírito é de bondade e mansidão; “Não vim para perder, mas para salvar as pessoas” Lc 9,55 e estais querendo que eu as perca? Calai-vos e não me façais semelhante pedidos, porque não é esse o meu espírito!
- Com que mansidão tratou Jesus a mulher adúltera: “Mulher, ninguém te condenou? Nem eu te condenarei. Vai a não peques mais” Jo 8, 10.
- Contentou-se apenas em admoesta-la a não mais pecar e a mandou em paz. Com quanta bondade procurou converter e converteu a samaritana. Começou pedindo-lhe agua. Depois lhe disse: “Se soubesses quem é que te pede de beber!”. Em seguida revelou-lhe que era o Messias esperado. Com quanta bondade procurou converter o traidor Judas. Deixou que ele comesse com ele no mesmo prato. Lavou-lhe os pés e o admoestou no momento da traição. “Judas, é com um beijo que me trais? Com um beijo trais o Filho do Homem?”
- Como é que mais tarde converteu Pedro, depois de ter sido renegado por ele? “O Senhor voltou-se e olhou para Pedro” Lc 22, 48.61. Ao sair da casa do pontífice, sem censurar o seu pecado, lançou sobre ele um olhar de ternura e o converteu. E converteu de tal forma que Pedro durante toda a vida não deixou de chorar a grave ofensa que fizera ao seu Mestre.

A força da Mansidão
            6. É certo, ganha-se mais sendo manso do que severo. Não há nada mais amargo que a noz; mas quando bem preparada, torna-se doce e agradável. O mesmo se dá com as repreensões; embora sejam em si desagradáveis, contudo quando feitas com amor e bondade, são bem aceitas e produzem maior proveito.
- S.Vicente de Paulo dizia que, no governo de seu instituto, fizera apenas três repreensões severas, acreditando ter boas razões para agir assim. Mas depois sempre se arrependeu porque nenhuma surtira efeito, ao passo que as correções feitas com mansidão sempre tiveram bons resultados.

            7. S.Francisco Sales, por sua mansidão, alcançava dos outros tudo o que desejava. Assim conseguiu levar para Deus os pecadores mais endurecidos. A mesma coisa fazia S.Vicente de Paulo que ensinava a seus missionários esta regra: “ A afabilidade, o amor e a humildade tem uma força maravilhosa para ganhar os corações dos homens e leva-los a abraçar as coisas mais desagradáveis a natureza humana”. Uma vez mandou um grande pecador a um de seus padres para que o convertesse. Mas o missionário, vendo inúteis todos os seus esforços, pediu ao santo que lhe dissesse alguma coisa. Ele o fez e o pecador se converteu. Este declarou depois eu a singular bondade e extrema caridade do santo lhe ganharam o coração. Por isso o santo não admitia que seus missionários tratassem os seus penitentes com dureza, e lhes dizia que o espírito infernal se serve do rigor de alguns para causar maior dano as almas.

            8. É preciso praticar a benignidade com todos, em todas as circunstâncias e em todo o tempo.
- S.Bernardo adverte que alguns são mansos enquanto as coisas correm de acordo com sua vontade. Mas quando atingidos por alguma contrariedade ou dificuldade, logo se inflamam e começam a fumegar como um vulcão.
- Pode-se chama-los muito bem de carvões acesos escondidos debaixo das cinzas. Quem quer ser santo, deve ser nesta vida como o lírio entre os espinhos. Embora nasça entre eles, não deixa de ser lírio, isto é, sempre igualmente suave e benigno!

A Prática de amor a Jesus Cristo Cap VI– Santo Afonso Maria de Ligório

quarta-feira, 27 de novembro de 2013

Maduros na fé


Os 30 'quês' de uma pessoa madura na fé
- Renovados que estamos e ao voltarmos para casa, para os ambientes em que vivemos apliquemos em nossos relacionamentos o que aprendemos e renovamos.
- Estamos num mundo completamente pluralista, por isso precisamos nos tornar verdadeiros especialistas em matéria de fé e conversão. Se não for dessa forma, os cristãos “mais ou menos” não vão resistir; daí a necessidade de um amadurecimento real e concreto na fé.

- O Projeto Nacional de Evangelização diz que é preciso ter e levar os outros ao encontro pessoal com Jesus, pois só assim vamos nos tornando maduros na fé, que nada mais é do que sermos crianças nas mãos de Deus.

- Livres da maturidade somente humana que questiona tudo, vamos a caminho de sermos verdadeiros cristãos com coluna vertebral.

- Textos-base para um aprofundamento e um exame de consciência a respeito da nossa fé:
1 Cor 3, 1-9; Heb 5, 12-14; Ef 4, 11-15.

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura com Deus é uma pessoa:
01 – Que escolhe inteiramente por Deus.
02 – Que sabe discernir a Vontade de Deus.
03 – Que faz a Vontade de Deus até o fim.
04 – Que vive o Evangelho sem questionamentos.
05 – Que é livre em Deus.
06 – Que sabe obedecer.
07 – Que sabe reconhecer os sinais do tempo.
08 – Que vive uma individualidade e não um individualismo.
09 – Que é capaz de viver a alteridade.
10 – Que vive uma fé com obras.

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura com o próximo é uma pessoa:
01 – Que pergunta, sem duvidar do próximo.
02 – Que vive a fé com o próximo.
03 – Que consegue se adaptar com o diferente.
04 – Que se alegra com o crescimento do próximo.
05 – Que reconhece o outro por também ser um filho de Deus.
06 – Que sabe o seu papel na sociedade.
07 – Que contagia o próximo com a santidade.
08 – Que tem como única competição amar mais o próximo.
09 – Que ama com caridade.
10 – Que é original na fé e na opinião.

A pessoa que tem uma fé vivida de forma madura consigo mesma é uma pessoa:
01 – Que tem autonomia na fé.
02 – Que é perseverante, mesmo no sofrimento.
03 – Que se engaja e se compromete.
04 – Que é especialista no que faz.
05 – Que é como pára-raios na intercessão.
06 – Que conhece a própria verdade.
07 – Que assume as experiências vividas.
08 – Que sabe receber elogios e também as críticas.
09 – Que sabe falar, mas também escutar.
10 – Que se deixa trabalhar no temperamento pelo Espírito de Deus.
 Padre Anderson Marçal