Mostrando postagens com marcador união. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador união. Mostrar todas as postagens

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Caminho que vos conduz ao Seu Reino

 

Caminho que vos conduz ao Seu Reino

- Hoje, na Glória do Paraíso e na Luz Purificadora do Purgatório, acolho a homenagem de toda a Igreja terrena e peregrina, para oferecer, com todos vós, a Coroa da Sua Realeza a Jesus Cristo, Nosso Deus, Nosso Salvador e Nosso Rei.

- Jesus deve Reinar, antes de mais nada, nos corações e nas almas de todos, porque a Sua Realeza é uma Realeza de Graça, de Santidade e de Amor.

- Quando Jesus Reina na alma de uma criatura, esta é transformada por uma Luz Divina, que a torna cada vez mais Bela, Luminosa, Santa e Amada por Deus.

- Por isso, a Minha tarefa materna consiste em afastar das almas dos Meus filhos toda a sombra de pecado, qualquer insídia de egoísmo, qualquer domínio de paixão, para conduzir todos pelo caminho de uma Grande Santidade.

- Então Jesus poderá instaurar verdadeiramente o Seu Reino nos vossos corações e nas vossas almas e tornar-vos-eis o precioso domínio da Sua Divina Realeza.

- Jesus deve Reinar nas famílias, que se devem abrir como pedras preciosas ao Sol da Sua Realeza.

- É por isso que Eu atuo nestes tempos, a fim de que nas famílias cresça:

a harmonia e a paz,

a compreensão e a concórdia,

a união e a fidelidade.

- Jesus deve Reinar em toda a humanidade, para que ela volte a ser um Novo Jardim, onde a Santíssima Trindade possa receber encanto e beleza, amor e perfume de toda a criatura e seja, assim, Glorificada, estabelecendo a Sua Morada Habitual entre vós.

- Por isso, atuo, hoje, intensamente, para conduzir toda a humanidade pelo caminho do retorno a Deus, por meio da Conversão, da Oração e da Penitência.

- Eu mesma conduzo o Meu Exército, chamado a combater contra o exército do mal, de modo que seja derrotada, o mais breve possível, a força daqueles que negam, blasfemam contra Deus e agem incansavelmente para construir uma civilização sem Ele.

- Jesus deve Reinar na Igreja, porção privilegiada do Seu Divino e Amoroso Domínio.

- A Igreja é inteiramente Sua porque:

nasceu do Seu Coração dilacerado,

cresceu no Seu Amor,

foi Lavada com o Seu Sangue,

desposada com Ele através de um pacto inviolável de Fidelidade Eterna.

- Por isso, Eu atuo como Mãe, nestes momentos dolorosos da Sua Purificação:

para limpar uma vez mais a Igreja de toda a mancha,

para a libertar de todo o compromisso com o espírito do mundo,

defende-la dos ataques astuciosos do seu adversário,

conduzi-la pelo caminho da perfeição,

para que possa refletir, em toda a parte, o próprio Esplendor do Seu Divino Esposo Jesus.

- O Meu Coração Imaculado é o caminho que vos conduz ao Seu Reino.

- De fato, o Triunfo do Meu Coração Imaculado coincidirá com o Triunfo do Meu Filho Jesus no Seu Glorioso Reino de Santidade e de Graça, de Amor e de Justiça, de Misericórdia e de Paz que será instaurado em todo o mundo.

-Por isso vos convido hoje a Oração e a Confiança, vos chamo a Paz do Coração e a Alegria porque o Glorioso Reino do Senhor Jesus já está as portas.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 23.11.86

Clique aqui e veja também:

Quando o Filho do Homem voltar

Esperança faz crescer no amor

Pecado e morte

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

segunda-feira, 2 de novembro de 2020

Na hora da vossa morte

 


Na hora da vossa morte

- Filhos prediletos, hoje vos recolheis em oração, recordando os vossos irmãos que vos precederam com o sinal da fé e dormem agora o sono da paz.

- Como é grande o número dos Meus prediletos e dos filhos Consagrados ao Meu Coração Imaculado que já entraram no repouso do Senhor.

- Muitos deles participam da plenitude da alegria, na perfeita posse de Deus e, juntamente com os exércitos dos Anjos, são Luzes que brilham na eterna bem aventurança do Paraíso.

- Muitos encontram-se no Purgatório, com a certeza de estarem salvos para sempre, mas encontram-se ainda no sofrimento purificador, porque a sua posse de Deus ainda não é plena e perfeita.

- Hoje quero dizer-vos que estes vossos irmãos estão particularmente perto de vós e constituem a parte mais preciosa do Meu exército vitorioso.

- O Meu exército é um só, como uma só é a Minha Igreja, reunida na alegre experiência da Comunhão dos Santos.

- Os Santos intercedem por vós,

iluminam o vosso caminho,

ajudam-vos com o seu puríssimo amor,

defendem-vos das astuciosas insídias que o Meu adversário vos arma e

esperam, ansiosos, pelo momento em que se encontrarão convosco.

- As almas do Purgatório rezam por vós, oferecem os seus sofrimentos pelo vosso bem e são ajudadas, pelas vossas orações, a libertarem-se daquelas imperfeições humanas que lhes impedem de entrar na felicidade eterna do Paraíso.

- Os Santos que viveram na terra a Consagração ao Meu Coração Imaculado, compondo uma coroa de amor para aliviar as dores da vossa Mãe Celeste, formam aqui no Paraíso a minha mais bela coroa de glória.

- Eles estão ao lado do Meu trono e seguem a vossa Mãe Celeste para onde quer que vá.

- As almas do Purgatório, que fizeram parte do Meu exército na terra, gozam agora duma particular união comigo, sentem de maneira especial a Minha presença, que adoça a amargura do seu sofrimento e abrevia o Tempo da sua Purificação.

- Sou Eu mesma que vou ao seu encontro para as acolher nos Meus braços, para as introduzir na Luz incomparável do Paraíso.

- Assim, estou sempre ao lado de todos vós, meus prediletos e filhos Consagrados ao Meu Coração, durante a vossa dolorosa peregrinação terrena, mas estou de modo especialíssimo ao vosso lado na hora da vossa morte.

- Quantas vezes, recitando o Santo Terço, Me repetistes esta oração:

“Santa Maria, Mãe de Deus, rogai por nós pecadores, agora e na hora da nossa morte

- Esta é uma invocação que Eu escuto com grande alegria e é sempre atendida por Mim.

- Se como Mãe, estou ao lado de cada um dos Meus filhos, na hora da morte estou particularmente junto de vós que sempre vivestes, por meio da vossa Consagração, no refúgio seguro do Meu Coração Imaculado.

- Na hora da vossa morte, estou perto de vós com o esplendor do Meu corpo glorioso, acolho as vossas almas nos Meus braços maternos e levo-as diante do Meu Filho Jesus, para o seu Juízo Particular.

- Pensai como deve ser alegre o encontro com Jesus para aquelas almas que Lhe são apresentadas pela sua própria Mãe.

- Isto porque Eu as cubro com a Minha beleza,

dou-lhes o perfume da Minha santidade,

o candor da Minha pureza,

a cândida veste da Minha caridade e, se ficou alguma mancha, passo com a Minha mão materna para a apagar e vos dar aquele esplendor que vos permite entrar na eterna bem aventurança do Paraíso.

- Bem aventurados aqueles que morrem ao lado da vossa Mãe Celeste.

- Sim, bem aventurados, porque morrem no Senhor, encontrarão o repouso de suas fadigas e o bem que fizeram os acompanha.

- Meus prediletos e filhos Consagrados ao Meu Coração Imaculado, hoje convido-vos a entrar numa grande intimidade comigo, durante a vossa vida, se quereis experimentar a grande alegria de Me ver ao vosso lado, para acolher nos Meus braços maternos as vossas almas, na hora da vossa morte.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 02.11.92

Clique aqui e veja também:

Maria, caminho fácil, curto e perfeito

Vontade, porta de entrada da alma

Obediência e desobediência

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

domingo, 1 de novembro de 2020

O Paraíso une-se a terra

 


O Paraíso une-se a terra

- Continua este teu maravilhoso caminho, meu pequeno filho, e responde a missão que Eu te confiei.

- Vê por toda a parte o Triunfo do Meu Coração Imaculado que Eu levo avante, agora de maneira cada vez mais forte, nos corações e nas almas.

- O Paraíso une-se a terra.

- É no Meu Coração Imaculado que acontece, cada dia, para vós, o encontro com os vossos irmãos e as vossas irmãs que vos precederam aqui, no Paraíso, e já gozam da eterna felicidade dos Santos.

- Na Luz da Santíssima Trindade, eles contemplam o Meu desígnio e o seu jubilo aumenta perante a visão do pleno Triunfo de Cristo, que formará finalmente, os Novos Céus e a Nova terra.

- O Paraíso une-se a terra, numa grande comunhão de oração, que se eleva de todos os Meus filhos, para que Jesus apresse o Seu retorno na glória e o mundo inteiro se transforme no maravilhoso Jardim de graça e de santidade, onde a Santíssima Trindade possa ainda Se refletir com complacência.

- - O Paraíso une-se a terra, formando o único exército, do qual Eu sou a Celeste Comandante, para combater a parte mais importante da batalha contra satanás e todas as forças do mal e para obter a Minha maior vitória.

- O Paraíso une-se a terra, agora que estais vivendo o período conclusivo da Purificação e da Grande Tribulação.

- Assim, os Santos do Céu, iluminam a vossa existência,

socorrem-vos com a sua poderosa ajuda,

defendem-vos das insídias astuciosas do Meu adversário,

conduzem-vos pela mão, pelo caminho da santidade, esperando ansiosamente que vos associeis, um dia, a sua eterna bem aventurança.

- Por isso, vos convido hoje a viver a alegre experiência da Comunhão dos Santos.

- Então, recebereis força e coragem para superar os momentos da Prova;

e o Paraíso vos será iluminado do doloroso caminho que todos deveis percorrer para atravessar o luminoso limiar da esperança.

- O Paraíso une-se a terra no Jardim Celeste do meu Coração Imaculado, porque, com o Seu Triunfo, descerá do Céu o orvalho da Divina Misericórdia, que levará o mundo inteiro a uma nova vida.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 01.11.95– Festa de Todos os Santos / Pouso Alegre-MG BR

Clique aqui e veja também:

Grande prova

Novos Céus e Nova Terra

Jesus as almas comuns

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

"Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva"

sexta-feira, 23 de outubro de 2020

Velai comigo na espera

 


Velai comigo na espera

- Filhos prediletos, hoje velai comigo na espera.

- É o Sábado Santo.

- É o dia da minha firme esperança.

- É o dia da minha fé inabalável e da minha dor Imaculada.

- Jesus jaz morto no seu sepulcro novo.

- Desde que Me afastei do sepulcro, com João e as piedosas mulheres, depois de ter sido fechado e de ter sido rolada para a sua entrada uma grande pedra, é como se o tempo tivesse parado para Mim, Mãe Dolorosa e Crucificada.

- Recolhi-Me numa oração incessante, enquanto as lágrimas desciam dos meus olhos num pranto contínuo e o Meu Coração materno formava quase como que um berço de amor e de espera para o novo e glorioso nascimento do Meu Filho Jesus.

- A fé na Sua Palavra Divina, que sempre Me tinha sustentado durante a Sua existência humana e que se tinha tornado, nas horas da Sua Paixão dolorosa, o único amparo seguro da minha indizível dor, transforma-se agora em certeza absoluta da sua próxima Ressurreição.

- Vivo ferida e aplacada, lacrimosa e consolada, dolorosa e alegre, porque sei que Jesus, massacrado e morto de maneira tão cruel, já está para ressuscitar.

- No alvorecer do primeiro dia depois do sábado, com que amor e ternura filial Se aproxima de Mim, Jesus Cristo, no esplendor do Seu Corpo Glorioso, estreitando-Me nos seus braços, envolvendo-Me na sua fortíssima luz e dizendo-Me palavras divinas de conforto.

- Filhos prediletos, velai comigo na espera, no longo e doloroso sábado Santo, que vai desde a sua ressurreição até o Seu glorioso retorno.

- Velai comigo na espera e sede fortes na fé em Jesus, nestes tempos em que se renovam traições e abandonos da parte dos seus, em que a fé dos verdadeiros discípulos é posta a dura prova pela difusão dos erros mais enganadores e insidiosos.

- Velai comigo na espera e permanecei firmes na esperança de que Jesus voltará sobre as nuvens do céu, no esplendor do Seu Corpo Glorioso, tal como preanunciou diante do tribunal de Caifás, querendo dar um sinal seguro da sua divindade nestes tempos em que se difundem as dúvidas sobre a sua natureza divina e sobre o cumprimento das suas promessas.

- Velai comigo na espera e sede ardentes na caridade, nestes tempos em que ela se esfriou no coração dos homens e a humanidade se tornou um deserto de vida e de amor e é cada vez mais consumida e ameaçada pelo egoísmo, pela violência, pela fome e pela guerra.

- Velai comigo na espera, nestes últimos tempos do vosso longo sábado Santo, porque está próximo o momento em que o Meu Filho Jesus voltará sobre as nuvens do céu, no esplendor da Sua Divina Glória.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 14.04.90

Clique aqui e veja também:

Segundo Pentecostes

Apóstolos dos últimos tempos 

Divisão, primeiro sinal.

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

quinta-feira, 10 de setembro de 2020

Divisão

 


Divisão, terceiro sinal

- Sou a vossa Mãe Imaculada.

- Apareci na terra, na pobre gruta de Massabielle, para vos indicar o caminho que deveis seguir nestes momentos difíceis.

- É o meu próprio caminho:

o caminho da pureza, da Graça, da oração, da penitência.

- É o caminho que o Meu Filho Jesus já vos indicou, para vos conduzir todos ao Pai no seu Espírito de Amor.

- Tendes em vós o seu próprio Espírito que vos faz chamar a Deus de Pai, porque vos foi participada a sua natureza divina.

- Segui pelo caminho do amor.

- Abri-vos ao Espírito de Amor que vos leva a estar cada vez mais unidos na vida.

- Amai-vos uns aos outros como Jesus vos amou e vos tornareis verdadeiramente uma só coisa.

- A unidade é a perfeição do amor.

- É por isso que Jesus quis que a sua Igreja fosse Una, para fazer Dela o Sacramento do Amor de Deus para com os homens.

- Hoje o Meu Coração Imaculado estremece, angustia-se ao ver a Igreja dividida interiormente.

- Esta divisão que penetrou no interior da Igreja é o terceiro sinal que vos indica, com certeza, que chegou para ela o momento conclusivo da sua dolorosa Purificação.

- Embora, ao longo dos séculos a Igreja tenha sido várias vezes dilacerada por divisões que levaram muitos dos meus filhos a separar-se Dela, Eu obtive-lhe de Jesus o privilégio singular da sua Unidade Interior.

- Mas, nestes tempos, o meu adversário conseguiu obscurecer, com a sua fumaça, também a luz desta sua divina prerrogativa.

- A divisão interior manifesta-se entre os próprios fiéis, que se põem, frequentemente, uns contra os outros, na tentativa de defender e anunciar melhor a Verdade.

- Assim, a Verdade é atraiçoada por eles próprios, porque o Evangelho do Meu Filho não pode ser dividido.

- Esta divisão interior leva, por vezes também, sacerdotes a porem-se contra Sacerdotes, Bispos contra Bispos, Cardeais contra Cardeais, pois nunca como nestes tempos Satanás conseguiu introduzir-se no meio deles, quebrando o precioso laço do seu mutuo e reciproco amor.

- A divisão interior exprime-se pelo modo com que se tende a deixar só, quase no abandono, também o Vigário de Jesus, o Papa, que é o filho por Mim particularmente amado e iluminado.

- O Meu Coração de Mãe é ferido por ver como o silêncio e o vazio dos meus filhos rodeiam frequentemente a palavra e a ação do Santo Padre, enquanto Ele é cada vez mais atingido e sofre oposição pelos seus adversários.

- Por causa desta divisão interior, o seu próprio ministério não é suficientemente defendido e difundido por toda a Igreja, a qual Jesus quis que estivesse unida em torno do sucessor de Pedro.

- O Meu Coração materno enche-se de dor ao ver que até alguns Pastores recusam deixar-se guiar pela sua palavra iluminadora e segura.

- O primeiro modo de estar separado do papa é a aberta rebelião.

- Mas há também um outro modo mais astucioso e perigoso: é proclamar-se abertamente unido a ele, mas discordar interiormente dele, deixar cair no vazio o seu Magistério e fazer, na prática, o contrário daquilo que Ele indica.

- Ó Igreja, corpo místico do meu Jesus, no teu doloroso caminho para o Calvário, chegaste a Décima Primeira Estação e te vês rasgada e dilacerada nos teus membros novamente crucificados.

- Que deveis vós fazer, meus filhos, apóstolos do Meu Imaculado e Doloroso Coração?

- Deveis tornar-vos semente escondida, pronta até a morrer pela unidade interior da Igreja.

- Por isso vos conduzo cada dia ao maior amor e a fidelidade ao Papa e a Igreja a Ele unida.

- Por isso vos torno hoje participantes das angústias do Meu Coração materno; por isso vos formo no heroísmo da santidade e vos levo comigo ao Calvário.

- Assim, também por meio de vós poderei fazer sair a Igreja da sua dolorosa Purificação, a fim de que nela se possa manifestar ao mundo todo o esplendor da sua unidade renovada.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 11.02.79

Clique aqui e veja também:

Confusão, primeiro sinal.

Indisciplina, segundo sinal.

Perseguição, quarto sinal.

“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Caminho do Calvário


Caminho do Calvário
- Enquanto o Meu Coração mergulhava num abismo de tristeza pela eterna perdição de Judas, os cruéis verdugos, insensíveis a Minha Dor, colocaram sobre os Meus ombros chagados o duro e pesado madeiro sobre o qual se ia consumar o Mistério da Redenção do mundo.
- Anjos do Céu, contemplai o Deus diante do qual vos prostrais em constante adoração:
  • Vede o Criador de todas as maravilhas da terra subir ao Calvário sob o lenho santo e bendito que vai receber seu último suspiro.
- E vós almas que quereis ser minhas fieis imitadoras:
  • Contemplai também Meu Corpo alquebrado por tantos tormentos, caminhando sem forças, banhado em suor e sangue.
  • Sofre e ninguém Dele se compadece.
  • A multidão Me escolta, os soldados Me cercam como lobo vorazes, ávidos por devorar a presa, e nenhum tem pena de Mim.
- O cansaço é tão grande e a Cruz tão pesada que caio desfalecido a meio do caminho.
- Vede esses homens desumanos, levantaram-Me brutalmente:
  • Um Me puxa por um braço, outro pelas vestes que estão coladas as Minhas feridas; este Me aperta a garganta, aquele Me agarra pelos cabelos; outros descarregam sobre Meu Corpo murros e pontapés.
  • A cruz cai sobre Mim, magoando-Me com seu peso.
  • As pedras do caminho rasgam-Me o rosto.
  • A areia e a poeira misturam-se a Minha face:
    • Tornei-Me o Ser mais desprezível da terra.
Martírio dos Dois Corações
- Andai comigo mais um pouco, alguns passos adiante encontrareis a Minha Mãe Santíssima.
- Com o Coração traspassado de dor vem ao Meu encontro, por duas razões:
  1. Para recobrar a vista de seu Deus, a força de sofrer;
  2. Para dar a Seu Filho, com sua atitude heroica, coragem para terminar a Obra da Redenção.
- Considerai o martírio desses Dois Corações:
  • Para Minha Mãe, aquele que ama acima de tudo, é Seu Filho; e longe de poder aliviá-lo, sabe, pelo contrário, tudo que sua presença acrescenta aos Meus Sofrimentos.
  • Para Mim aquela que mais amo no mundo é Minha Mãe. E não somente acho-Me impossibilitado de Consolá-La, mas o lamentável estado a que Me vê reduzido, traspassa-a de dor semelhante a Minha, pois a morte que sofro em Meu Corpo, sofre Minha Mãe no Coração.
- Ah, como se prendem a Mim os seus olhos e como os Meus obscurecidos e ensanguentados se fixam nela.
- Nem uma só palavra trocamos, mas quanta coisa dizem os nossos Corações naquele mútuo e doloroso olhar.

- Jesus emudece... parece que o Amor o absorve na recordação do olhar de sua Mãe.
- Josefa fica suspensa naquele silêncio.
- Ousa afinal rompê-lo perguntando ao Mestre se sua Mãe tinha tido conhecimento de suas dores durante aquelas horas trágicas.
- Sim, responde com Bondade:
  • Todos os tormentos de Minha Paixão estavam-Lhe presentes ao espírito por Divina Revelação.
  • Além disso, alguns dos Meus discípulos, embora de longe, com medo dos Judeus, procuravam informar-se do que se passava para lhe contar.
  • Logo que Ela soube da sentença de morte pronunciada contra Mim, saiu a Meu encontro e não mais Me deixou até que Me depuseram no sepulcro.
Simão, o Cirineu
- Durante este tempo a comitiva se adianta no Caminho do Calvário.
- Aqueles homens iníquos, receando que Eu morresse antes do termo, movidos por maldade atroz e não por compaixão, combinam entre sí procurar alguém que Me ajudasse a carregar a Cruz.
- Foi então que requisitaram por preço módico um homem dos arrdores, chamado Simão.
- Considere duas coisas a respeito de Simão:
  1. Aquele homem, embora de boa vontade, é um mercenário, pois, se Me acompanha e partilha o peso da Minha Cruz, é para ganhar a quantia combinada. Então, quando se sente cansado, deixa pesas mais o fardo da cruz sobre Meus Ombros e é por isso que caio mais duas vezes no caminho.
  2. Esse homem foi requisitado para Me ajudar a carregar uma parte da Cruz, mas não toda a Minha Cruz.
Almas que levam parte da Cruz de Jesus
- Simão foi requisitado, quer dizer, ele tem certo interesse no trabalho ao qual é obrigado:
- Assim acontece com muitas almas que caminham após Mim.
- Aceitam, sim, ajudar-Me a levar a Cruz, mas sempre desejosas de consolo e repouso.
- Consentem em seguir-Me e, com esse fim, abraçaram a Vida Perfeita, mas sem abandonar o próprio interesse que continua sendo o seu primeiro cuidado.
- Por isso vacilam e deixam cair a Minha Cruz quando a sentem muito pesada.
- Procuram modo de sofrer o menos possível, calculam sua abnegação, evitam certo cansaço, certa humilhação, certo trabalho e, lembrando-se talvez com pena do que deixaram, tratam de conseguir ao menos alguns prazeres.
- Numa palavra, há almas tão interesseiras, tão egoístas que, estando dispostas a seguir-Me, mais por sí mesmas do que por Mim; não aceitam senão aquilo que não podem evitar ou que as obriga estritamente.
- Essas almas ajudam-Me a carregar pequenina parte de Minha Cruz e, de tal modo, que adquirirão apenas os merecimentos indispensáveis a sua salvação.
- Mas na eternidade, verão quão atrasadas ficaram no caminho.

Almas que levam a Cruz de Jesus
- Pelo contrário, outras almas há, e numerosas, que, movidas pelo desejo de sua salvação, mas muito mais ainda, pelo Amor daquele que sofreu por elas, decidem seguir-Me no Caminho do Calvário.
- Abraçam a Vida Perfeita e se entregam a Meu serviço, não para levar parte da Cruz, mas para carrega-la toda inteira.
- Seu único fim é dar-Me repouso e consolar-Me.
- Elas se oferecem para tudo o que Minha Vontade pedir e não procuram senão o Meu agrado.
- Não pensam, nem na recompensa, nem nos merecimentos que possam adquirir, nem no cansaço, nem no sofrimento que daí sobrevenha.
- Seu único desejo é provar-Me seu amor e consolar Meu Coração.
- Se Minha Cruz se apresentar sob forma de enfermidade, ou se esconder num emprego contrário a seus gostos e aptidões, se tomar aparências de esquecimento ou de oposição da parte das pessoas que as rodeiam, saberão reconhece-la e aceita-la com toda a submissão de que é capaz sua vontade.
- As vezes, sob o impulso de grande amor por Meu Coração e de verdadeiro zelo pelas almas, fazem o que julgam melhor em tal ou qual circunstância.
Mas toda sorte de penas e humilhações respondem a sua expectativa.
- Então as almas impelidas puramente pelo Amor, descobrem a Minha Cruz nesse fracasso, adoram-na, abraçam-na e oferecem por Minha Glória toda a humilhação que lhes sobrevém.
- Ah, estas almas são por certo as que levam verdadeiramente todo o peso da Minha Cruz, sem outro interesse nem outra paga senão o Amor.
- São as que repousam Meu Coração e o glorificam.
- Convencei-vos pois, de que, se vossa abnegação e vossos sofrimentos tardam a frutificar ou parecem, às vezes, não dar fruto algum, nem por isso foram vãos e inúteis. Um dia a colheita será abundante.

Não criar expectativas humanas
- A alma que ama deveras, não calcula o que faz nem pesa o que sofre.
- Não regateia canseiras, nem trabalhos, não espera recompensa, mas procura tudo o que parece dar mais Glória a Deus.
- E porque age com lealdade, seja qual for o resultado, não procura desculpar-se nem justificar suas intenções.
- E porque age por amor, seus esforços e suas mágoas redundarão sempre na Glória de Deus.
- Assim, não se agita nem se inquieta; e menos ainda, perde a paz se, em alguma ocasião se vir contrariada e humilhada:
  • o único motivo de suas ações é o amor, seu único fim.
- Eis as almas que não buscam salários e só procuram Meu Consolo, Meu Repouso e Minha Glória.
- São as que tomaram a Minha Cruz, e a carregam com todo o seu peso sobre os ombros.
- Não espera Jesus, para ajuda-lo, de verdade, sob a Cruz, esses corações generosos que O amam com amor sincero, leal, desinteressado?
- Se Ele se dignou traçar o plano dessa cooperação tão cara a Seu Coração, não foi porventura para despertar o amor de grande número de almas, daquelas que Santa Teresa já definia nesses termos:
  • Uma alma que sabeis ser toda Vossa.
  • Uma alma que se abandona a Vós, para seguir-Vos aonde quer que vades, e até a morte da Cruz.
  • Uma alma resolvida a ajudar-Vos a carregar Vosso fardo sem nunca Vos deixar sozinho a aguentar o seu peso.
27.março.1923 (426;432-435)
“Apelo ao Amor” A mensagem do Coração de Jesus ao Mundo e Sua Mensageira Irmã Josefa Menéndez da Sociedade do Sagrado Coração.
Clique aqui e veja também:


“Senhor, que vosso Amor, Sofrimento e Sangue derramado,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”


domingo, 1 de outubro de 2017

Tarefa dos Anjos da Guarda


Tarefa dos Anjos da Guarda
- Filhos prediletos, neste dia vos reuni nos Cenáculos para renovar a Consagração ao Meu Coração Imaculado e para venerar a memória litúrgica dos vossos Anjos da Guarda.
- Nos tempos da grande prova, vos convido a tornar mais fortes os laços que vos unem aos vossos Anjos da Guarda.
- Eles tem uma particular e importante tarefa a cumprir para convosco, sobretudo nestes últimos tempos.

Os Anjos da Guarda a tarefa de ser LUZ no vosso caminho.
- Os dias que viveis são assinalados por uma grande escuridão que se torna sempre mais profunda e ampla:
  • São as trevas dos erros que envolvem as mentes dos homens e os tornam assim vítimas da grande apostasia.
  • São as trevas dos pecados que obscurecem a beleza e a santidade das almas.
  • São as trevas da impureza que enfeitam o esplendor do vosso corpo, chamado a refletir a glória do Deus Vivo.
- Assim, quantos são hoje os meus pobres filhos que vivem como sombras, submersos pelas trevas dos erros, do pecado e da impureza.
- Aos vossos Anjos da Guarda é confiada a tarefa de vos proteger das grandes trevas que vos circundam para fazer-vos caminhar sempre na luz da verdade, da santidade, da pureza, da humildade, da confiança e do amor.

Os Anjos da Guarda tem a tarefa de ser DEFESA para vossa vida.
- Como são numerosas e enganosas as insídias que todo dia vos tramam os espíritos maus; os demônios que agora se espalharam no mundo e operam em toda a parte para conduzir as almas para a condenação eterna.
- A sua ação agora tornou-se poderosa porque se associou a força que tem os meios de comunicação como a imprensa e a televisão.
- Com enganoso refinamento é difundido:
·         o mal sob a forma de bem,
·         o pecado como exercício da própria liberdade,
·         a transgressão a Lei de Deus como nova conquista por parte desta pobre e pervertida humanidade.
- Como são fortes e contínuos os ataques dos espíritos maus, para golpear-vos também na vossa vida física com:
  • acidentes,
  • desgraças,
  • atentados,
  • doenças,
  • calamidades,
  • explosões de violência,
  • guerras e revoluções.
- Aos Anjos da Guarda é confiada a tarefa de proteger-vos de todos esses males, de defender-vos contra estas insídias, para fazer-vos caminhar na vida sob a sua segura e piedosa proteção.

Os Anjos da Guarda tem a tarefa de COMBATER convosco
a mesma batalha para obter a mesma vitória.
- Na grande prova, que já chegou, torna-se ainda mais forte e sangrenta a grande luta:
·         entre a Mulher vestida de sol e o dragão vermelho,
·         entre as forças do bem e as forças do mal,
·         entre Cristo e o anticristo.
- É uma batalha que se trava sobretudo a nível de espíritos:
  • os espíritos bons contra os espíritos maus;
  • os Anjos contra os demônios;
  • São Miguel Arcanjo contra Lúcifer.
- Vós sois envolvidos nesta grande luta, que é imensamente superior a vós.
- Então deveis estar particularmente unidos Aqueles (Anjos) que estão juntos de vós no grande combate, que tem grande poder nesta luta, que vos ajudam a combater e vos conduzem para a vitória segura.

- Meu mais pequenino menino, confia a particular proteção dos teus Anjos da Guarda a longa e cansativa viagem que, dentro de alguns dias, deves fazer a Malásia, Indonésia, Austrália; Ilhas Fuji e Nova Zelândia, para fazer em toda parte os Cenáculos com Sacerdotes e fiéis do Meu Movimento.
- Hoje convido todos a tornar mais assídua a oração, mais fortes os laços, mais profundo o afeto para com estes Anjos de Luz, que vos foram dados pelo Senhor para a Vossa guarda e proteção.
- Junto com eles, a todos vos abençoo em Nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano 02101993
Clique aqui e veja mais:



quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Jesus abandonado


- Meus Apóstolos Me abandonaram.
- Só Pedro, levado pela curiosidade, se disfarçou no meio dos criados.
- Em volta de Mim, apenas falsas testemunhas que acumulavam mentiras sobre mentiras para atiçar a raiva dos juízes iníquos.
- Os mesmos lábios que outrora tanto aclamaram meus milagres, tornam-se hoje meus acusadores.
- Chamam-Me perturbador, profanador do sábado, falso profeta, e a soldadesca excitada por essas calúnias profere contra Mim gritos e ameaças.
- Aqui farei ouvir um apelo aos Meus Apóstolos de então, as Minhas almas escolhidas de hoje.

- Onde estáveis, Apóstolos e discípulos, testemunhas de Minha Vida, dos Meus Ensinamentos, dos Meus Milagres?
- Ai de todos aqueles que Me deviam alguma prova de amor, nenhum ali está para Me defender.
- Estou só, acusado dos mais abomináveis crimes, cercado de soldados que, como lobos vorazes, querem devorar-Me.
- Todos Me maltratam, um Me bate na face, outro cospe em Mim a sua saliva imunda, aquele outro expõe-Me ao escárnio.

- E enquanto Meu Coração se oferece a todos estes suplícios para livrar as almas da escravidão do pecado...
... Pedro constituído por Mim, Chefe da Igreja,
... Pedro, que poucas horas antes prometera seguir-Me até a morte,
... Pedro que tem ocasião de dar testemunho de Mim, responde a uma simples pergunta com uma negação.
- E como a pergunta é repetida e o temor se apodera cada vez mais dele, jura que nunca Me conheceu e que jamais fôra Meu Discípulo.
- Ah, Pedro, juras que não conheces teu Mestre! E não só juras, mas pela terceira vez O renégas com horríveis imprecações.

Almas escolhidas
- Almas escolhidas, medite quão dolorosa é para Meu Coração que arde e se consome de Amor ver-se renegado pelos Seus?
- Quando o mundo se revolta contra Mim e que tantas almas Me desprezam, Me maltratam e procuram matar-Me e que, voltando-Se para os Seus Meu Coração só encontra isolamento e abandono...
Que tristeza e que amargura.

Recorrei a Mim
- A vós, como a Pedro, Ei direi:
- Esquecestes as provas de Amor que vos tenho dado?
- Os laços que vos prendem a Mim?
- As promessas com que tantas vezes protestáveis fidelidade em defender-Me até a morte?
- Se sois fracas e receais ceder ao respeito humano, vinde pedir-Me força para vencer.
- Não vos apoieis sobre vós mesmas, mas recorrei a Mim com confiança e Eu vos sustentarei.

Fugi das ocasiões de pecado
- Se viveis no meio do mundo, cercadas de perigos e ocasiões de pecado, não vos exponhais voluntariamente ao perigo.
- Teria Pedro sucumbido se, resistindo corajosamente, não tivesse cedido a vã curiosidade?
- E vós que trabalhais na Minha Seara ou na Minha Vinha, se, em alguma ocasião vos sentirdes arrastados a ação por uma satisfação humana: fugi.

Trabalhai em comunhão com a Igreja
- Mas se trabalhais puramente por obediência, para Minha Glória e a Salvação das Almas, nada temais:
  • Eu vos defenderei e vós passareis vitoriosamente através do perigo.

Procurai e pensai nas coisas do alto (Colossenses 3)
- Enquanto os soldados Me conduziam a prisão, avistei Pedro no meio dos criados e Meus Olhos fitaram-no; ele olhou para Mim e chorou amargamente seu pecado.
- É assim que fixo Meus Olhos sobre a alma culpada.
- Mas ela? Olhará para Mim? E os nossos olhares se encontrarão sempre?
- Ai, quantas vezes o Meu em vão procura o dela.
- A alma não Me vê, está cega.
- Insisto  com doçura, ela não Me ouve.
- Chamo-a pelo nome, não Me responde.
- Tento acorda-la com alguma tribulação, ela não desperta do seu sono.

Sem fé a razão falha
- Almas que amo, se não olhardes mais para o céu, sereis nesta terra como entes privados de razão.
- Levantai a cabeça para o vosso fim, para a Pátria que vos espera.
- Procurai a Vosso Deus e O encontrareis sempre com os Olhos fixos sobre vós; e no Seu Olhar, Paz e Vida.

16.março.1923 (390-396)
“Apelo ao Amor” A mensagem do Coração de Jesus ao Mundo e Sua Mensageira Irmã Josefa Menéndez da Sociedade do Sagrado Coração.

sábado, 9 de setembro de 2017

Getsêmani e seus ensinamentos


- Vamos ao Getsêmani e enche tua alma com os sentimentos de tristeza e amargura que inundaram a Minha.

Aprendei de Mim (Mateus 11,28)
- Depois de ter pregado as multidões, curado doentes, restituído vista aos cegos, ressuscitado mortos...
- Depois de ter vivido três anos no meio de meus Apóstolos para forma-los e ensinar-lhes Minha Doutrina...
- Acabei finalmente por lhes mostrar com Meu exemplo, a se amarem e a se suportarem mutuamente, a praticarem caridade uns para com os outros, lavando-lhes os pés e tornando-Me seu alimento.

Entrega e Sacrifício
- Era chegada a hora em que o Filho de Deus feito homem, Redentor do gênero humano, ia derramar o Sangue e dar a Vida pelo mundo.
- Foi então que quis pôr-Me em oração e entregar-Me a Vontade de Meu Pai.
- Almas caríssimas, Aprendei de Mim, Vosso Modelo, que a única coisa necessária, quaisquer que sejam as revoltas da natureza, é entregar-vos e sacrificar-vos humildemente com um ato supremo da vontade, ao cumprimento da Vontade de Deus, seja em que circunstância for.

Oração antes da ação
- Aprendei de Mim que toda ação importante deve ser precedida de oração e por ela vivificada, pois é na oração que a alma alcança fortaleza para as horas difíceis.
- É pela oração que Deus se comunica, aconselha e inspira, mesmo sem que a alma o sinta.
- Retirei-Me ao Jardim de Getsêmani, isto é, a solidão.
- Assim a alma há de procurar a seu Deus, longe de tudo, dentro de si mesma.
- Para O encontrar há de impor silencio a todas as agitações da natureza, tantas vezes em luta contra a graça.
- Há de fazer calar os raciocínios do amor próprio ou da sensualidade, que procuram abafar as inspirações da graça e se opõem ao encontro de Deus.

- Tomei comigo Três dos meus Discípulos para ensinar que as Três Potências da Alma devem acompanhar-vos na oração:
  • Recorde-vos a Vossa Memória as Perfeições e os Benefícios de Vosso Deus, Sua Misericórdia, Seu Amor, Seu Poder, Sua Bondade.
  • O Vosso Entendimento procure os meios de corresponder a tantas graças maravilhosas que multiplicou para vós.
  • A Vossa Vontade fortaleça-se com o desejo de fazer mais e melhor por Ele... de trabalhar pela salvação das almas, quer no labor apostólico, quer no silencio e na oração de uma vida humilde e oculta.
- Submetei a Vossa Vontade a Vontade de Deus... Adorai Seus Desígnios para convosco, sejam quais forem... e todo o vosso ser se prostre como convém a criatura diante do Criador.
- Foi assim que Eu Me ofereci para realizar a Obra da Redenção do mundo.

Agonia sem morte (Lucas 22,44)
- No mesmo instante vi cair sobre Mim todos os tormentos da Minha Paixão, as calunias e os insultos, os açoites e a coroa de espinhos, a sede, a cruz.
- Todas estas dores se acumularam diante de Meus olhos e ao mesmo tempo a multidão de ofensas, de pecados e de crimes que se cometeriam no decurso dos séculos.
- Não somente Os vi, mas senti-Me revestido de todos esses horrores.
- E sob este fardo de ignomínias, apresentei-Me a Meu Pai Santíssimo para implorar Misericórdia.
- Então senti precipitar-se sobre Mim a cólera de um Deus ofendido e irritado e ofereci-Me como fiador. Eu, Seu Filho, para aplacar Sua ira e satisfazer a Sua Justiça.
- Mas, sob o peso de tantos crimes, experimentei na Minha natureza humana tal angústia e tão mortal agonia que todo o Meu corpo ficou coberto com um suor de Sangue.
- Oh! Pecadores, que Me fazeis sofrer assim. Dar-vos-á este Sangue salvação e vida? Ou ficará perdido para vós?
- Como exprimir Minha dor, pensando neste suor, nestas angústias, nesta agonia, neste Sangue, inúteis para tantas e tantas almas.
  
Consolar e ser consolado
- Venho revelar-te os sentimentos de Meu Coração, mas também repousar-Me no meio de vós.
- Ah, que alegria Me dão as almas que sabem receber-Me com júbilo... porque as visito ora para consolá-las, ora para nelas procurar consolo. Mas elas nem sempre Me reconhecem, mormente quando tem que sofrer.
“Quando sofres, é Meu consolo e Meu repouso.
Quando repousas, Sou Eu que te guardo” (182)

Desperta, tu que dormes (Efésios 5,14)
- Aproxima-Te de Mim e quando Me vires submerso num oceano de tristeza, vem comigo procurar os três discípulos que deixei a alguma distância.
- Tinha-os escolhido para repousar ao pé deles, associando-os a Minha prece e a Minha Angústia.
- Como dizer o que sofreu o Meu Coração quando, indo procurá-los os encontrei adormecidos?  Que mágoa para quem ama, ver-se só e sem poder confiar nos seus.
- Quantas vezes Meu Coração sofre com esta dor, e quantas vezes procurando alívio junto de suas Almas escolhidas, as encontra adormecidas.
- Em vão tento despertá-las, arrancá-las a si mesmas e as preocupações pessoais, aos entretenimentos inúteis e frívolos. Muitíssimas vezes respondem-Me, com atos, se não com palavras:
  • Agora não posso, tenho muito que fazer, estou muito cansada, preciso de um pouco de sossego.
- Então, insistindo suavemente, digo a essa alma:
  • Vem um momento, vem orar comigo, agora é que tenho necessidade de ti, não receies sacrificar esse descanso por Mim, pois serei Eu tua recompensa.
- Recebo a mesma resposta.
- Pobre alma adormecida, que não pode velar uma hora comigo.
  
É vão o socorro humano (Salmo 107, 13)
- Aprendei de Mim, almas queridas, como é inútil e vão procurar alívio junto das criaturas.
- Ao pé delas, muitas vezes não encontrareis senão acréscimo de sofrimento, pois estão dormindo e não respondem nem a vossa expectativa, nem ao vosso amor.

Meu Pai
- Voltando depois a Minha oração, prostei-Me de novo, adorei o Pai e implorei-Lhe socorro.
- Não Lhe disse: “Meu Deus” mas “Meu Pai”.
- Quando o vosso coração sofre mais, deveis também chamar a Deus Vosso Pai.
- Suplicai-Lhe que vos ajude, expondo-Lhe os vossos sofrimentos, os vossos temores, os vossos desejos, e, com os gemidos da vossa dor, recordai-Lhe que sois sua filha, seu filho.
- Dizei-Lhe:
  • que vosso corpo está extenuado,
  • que vosso coração está opresso até a morte,
  • que vossa alma parece experimentar o suor de sangue.
- Orai com confiança de filha e esperai tudo dAquele que É Vosso Pai.
- Ele próprio vos consolará e vos dará a força necessária para atravessar a tribulação ou o sofrimento, seja este vosso ou das almas que vos são confiadas.
- Minha alma, triste e desamparada ia sofrer angústia ainda mais mortal, pois sob o peso das iniquidades dos homens e em troca de tanto padecimento e de tanto amor só via Eu ultrajes e ingratidões.

Sangue Divino! Méritos infinitos!
- O Sangue que escorria por todos os Meus poros e que daí a pouco havia de jorrar de todas as minhas feridas seria inútil para muitíssimas almas, muitas se perderiam, outras, em maior número, Me ofenderiam, e grandes multidões nem sequer Me conheceriam.
- Eu derramaria Meu Sangue por todas e Meus Méritos seriam oferecidos a cada uma; Sangue Divino! Méritos infinitos! Inúteis entretanto para tantas e tantas almas.
- Sim, por todas derramaria Meu Sangue e todas seriam amadas com grande Amor:
·         Mas para algumas quanto seria mais terno, mais delicado, mais ardente este Amor. Dessas almas escolhidas esperava Eu mais consolo e amor, mais generosidade e abnegação; em uma palavra, mais correspondência as Minhas Bondades.
·         Mas ai! Quantas vi, naquele momento, desviarem-se de Mim; fecharem umas os ouvidos a Minha voz; outras ouvirem-na sem a seguirem; outras, corresponderem por algum tempo, com certa generosidade mesmo, ao Apêlo de Meu Coração, depois adormecerem pouco a pouco, e um dia chegarem a dizer-Me por sua obras:
o   Já trabalhei bastante, fui fiel aos pormenores de minhas obrigações, dominei minha natureza, vivi na abnegação; agora preciso de um pouco mais de liberdade, já não sou criança. Tantas privações, tanta vigilância, não são mais necessárias, bem posso largar tal coisa que me incomoda, etc...
- Pobre alma! Começas a adormecer?
- Dentro em pouco voltarei e, no teu sono, não me ouvirás.
- Virei oferecer-Te Minha Graça e não a receberás.
- Terás algum dia força para despertar?
- Não é para temer que, tendo ficado por longo tempo sem alimento, te enfraqueças e não possas mais sair de tua letargia.
- Almas que amo, sabei que muitos foram surpreendidos pela morte no meio de profundo sono.
- Onde e como acordaram?
- Tudo isso estava diante de Meus olhos e de Meu Coração.
- Que fazer?
- Recusar?
- Pedir ao Pai que Me livrasse dessa angústia?
- Representar-Lhe a inutilidade de Meu Sacrifício para tantas almas?
- Não!
- Submeti-Me novamente a Sua Vontade Santíssima, aceitei o Cálice para esgotá-lo até as fezes.
  
Não recuse o sofrimento
- Assim procedi para ensinar-Vos a não recuar diante do sofrimento.
- Nunca julgueis inútil, mesmo se não virdes o seu resultado:
  • Submetei o vosso juízo e deixai que a Vontade Divina opere e se cumpra em vós.
- Eu não quis recuar nem fugir, e, sabendo que ali naquele Jardim viriam prender-Me os inimigos. De lá não arredei o pé.

Os traidores
- Depois de ter sido reconfortado pelo Enviado de Meu Pai (Lucas 22,43), vi que se aproximava Judas, um dos Meus Doze Apóstolos e atrás dele vinham os que haviam de apoderar-se de Mim.
- Estavam armados com bordões e pedras, traziam correntes e cordas para Me prender e amarrar.
- Levantei-Me e indo-lhes ao encontro, disse-lhes: “A quem procurais?”
- Então Judas, pondo as mãos sobre os Meus ombros, beijou-Me!
- Ah! Judas, que fazes e que significa este ósculo?
- A quantas almas não posso Eu dizer também. Que fazeis? Por que Me atraiçoais com um ósculo?

Reuniões perigosas
- Alma que amo, que acabas de Me receber, que Me repetes os protestos do teu amor; mal sais da Minha presença, logo Me entregas aos Meus inimigos?
- Bem sabes que nessa reunião que te atrai, há conversas que Me ferem e tu, que Me recebeste pela manhã e Me receberás talvez no dia seguinte, perdes ali a brancura preciosa de Minha Graça.

Negócios ilícitos
- Porque levas adiante esse negócio que te enegrece as mãos? Direi a outra.
- Não sabes que não é licito o modo por que adquires essa fortuna, como te elevas a essa posição e como procuras esse bem estar?
- Tu Me recebes e Me beijas como Judas, depois, dai a alguns instantes, ou quando muito, daí a algumas horas, és tu mesmo que dás sinal aos Meus inimigos para que me reconheçam e se apoderem de Mim.
  
Amizade perigosa
- Também Me dirijo a ti, alma Cristã, que Me atraiçoas com essa amizade perigosa.
- Não só Me acorrentas e Me lapidas, mas és causa de que outra Me atraiçoe também.
- Por que Me entregas assim? Tu que Me conheces e que mais de uma vez te tens gloriado da tua piedade e da tua caridade?
- Sem dúvida, poderias recolher com elas grande mérito mas na realidade, que são senão véu que encobre tua malícia?

Almas escolhidas
- Amigo, por que vieste?
- Judas! Com um beijo traiste o Filho de Deus, Teu Mestre e Teu Senhor. Aquele que te ama e está pronto a te perdoar ainda... tu, um dos Meus Doze... um dos que se sentaram a Minha Mesa e aos quais lavei Eu próprio os pés.
- Quantas vezes posso e devo falar assim as almas mais caras a Meu Coração.
- Alma querida! Porque te deixas arrastar por esta paixão?
- Porque lhe deixas campo livre?
- Não está sempre em teu poder te livrares dela, mas só te peço combate-la, lutar e resistir-lhe.
- Que são os prazeres momentâneos? Senão os trinta dinheiros por que Judas Me vendeu e que só serviram para perdição?
- Quantas almas Me te vendido e Me venderão ainda pelo preço vil de um deleite passageiro.
- Ah! Pobres almas. A quem procurais?
- A Mim? A este Jesus que conheceis e que amáveis?

Vigiai e orai (Mateus 26,41)
- Sim, trabalhai sem descanso a fim de que vossos defeitos e vossas más inclinações não cheguem a se transformar em hábitos.
- A erva dos campos dever ser ceifada todos os anos e, até mesmo, em cada estação.
- É preciso lavrar a terra para fortifica-la e arrancar incessantemente as ervas daninhas.
- Do mesmo modo, a alma deve vigiar e endireitar com cuidado as suas tendências defeituosas.
- Nem sempre é uma falta grave que abre caminho a desordens piores.
- O ponto de partida das maiores quedas é frequentemente pouca coisa:
  • Um pequeno gozo;
  • Um momento de fraqueza;
  • Um consentimento, talvez licito, mas pouco mortificado;
  • Um prazer legitimo em si, mas que não convém.
- Tudo isso aumentando e multiplicando-se, a alma vai caindo na cegueira, a graça tem menos preponderância, a paixão se fortifica e afinal triunfa.
- Ah! Como é triste para o Coração de Deus, cujo Amor é infinito, ver tantas almas aproximarem-se insensivelmente no abismo.

Balança do Amor
- Toma a Cruz e nada temas.
- Nunca ultrapassará tuas forças, pois Eu a medi e a pesei na Balança do Amor.
- Ah! Sabes quanto te amo e quanto amo as almas. É por elas que Me sirvo de ti, pois embora sejas muito pequena e pouco valhas, utilizo tua pequenez conservando-te unida a Meus Méritos e a Meu Coração.
- Fica com Minha Cruz e sofre pelas almas e por amor de Mim.

Pecado, arma contra Deus
- Como as almas que Me ofendem gravemente, Me entregam aos inimigos a fim de que Me levem a morte, ou antes, são elas que se tornam inimigas e a arma de que se servem contra Mim é o pecado.

Almas de eleição
- Não se trata porém sempre de grandes quedas.
- Há também almas, e almas de eleição que Me atraiçoam por:
·         suas faltas habituais,
·         suas más inclinações não combatidas,
·         suas condescendências com a natureza imortificada,
·         suas faltas de caridade, de obediência, de silêncio, etc...
- E se Meu Coração sofre com os pecados e a ingratidão do mundo, quanto mais, se são ofensas vindas de almas muito amadas.
- Se o beijo de Judas Me causou tanta dor, foi justamente por ser dos Meus Doze e que dele, como dos outros, esperava Eu mais amor, mais consolo, mais delicadeza.
- Ó vós, que escolhi para lugar de Meu repouso e Jardim das Minhas Delicias, de vós também espero muito mais amor, ternura, delicadeza, que de outras que não Me são tão intimamente unidas.
- Sêde o bálsamo que cicatriza as Minhas feridas, enxugai Minha Face manchada e desfigurada.
- Ajudai-Me a esclarecer as almas cegas que, na escuridão da noite, Me prendem e Me amarram para Me conduzirem a morte.

Sou Eu, aquele que te ama
- Não Me deixeis só.
- Acordai e vinde, porque se aproximam os Meus inimigos.
- Quando os soldados avançaram para Me prender, disse-lhes:
  • Sou Eu! É a palavra que repito a alma que se acerca do perigo e da tentação; Sou Eu sim, Sou Eu! Tu vens para Me trair e Me entregar.
- Não importa!
- Vem, Sou Teu Pai e se quiseres, ainda estás a tempo:
  • Perdoar-te-ei; e ao invés de Me amarrares tu, com teus pecados; Eu é que te prenderei com os laços do Meu Amor.
- Vem, Sou Aquele que te ama. Aquele que derramou todo o Sangue por ti.
- Tenho compaixão de tua fraqueza e espero-te, com desejo ardente de te acolher em Meus Braços.
- Vem, alma Minha Esposa, Meu Sacerdote, Sou a Misericórdia infinita.
- Não te hei de castigar, não te hei de repelir, mas abrir-te-ei Meu Coração e Te amarei com mais ternura ainda.
- Lavarei tuas manchas no Sangue de Minhas Chagas.
- Tua beleza recobrada causará admiração ao céu e Meu Coração repousará em ti.

Apelo as almas
- Ah! Que tristeza, quando, depois de um apelo destes a almas cegas e ingratas, elas Me ligam e Me conduzem a morte.
- Depois de Me ter dado o beijo da traição, Judas saiu do Jardim e compreendendo o alcance de seu crime, caiu em desespero.
- Quem poderá calcular a Minha Dor quando vi Meu Apostolo correr para a perdição eterna?
- Entretanto soara a hora e, dando inteira liberdade aos soldados, entreguei-Me com docilidade de cordeiro.
- Arrastaram-Me logo a casa de Caifaz onde fui recebido com zombarias e insultos, onde um dos criados Me deu a primeira bofetada.
- A primeira bofetada.
- Compreende isto bem: Acaso Me fez sofrer mais que os golpes da flagelação? Não, mas nesta primeira bofetada, Eu vi o primeiro pecado mortal de tantas almas que tinham, vivido até então na Minha Graça.
- E depois do primeiro, quantos outros, e quantas almas arrastadas pelo exemplo ao mesmo perigo.
- Talvez a mesma desgraça: a desgraça de morrer em pecado.

“Apelo ao Amor” A mensagem do Coração de Jesus ao Mundo e Sua Mensageira Irmã Josefa Menéndez da Sociedade do Sagrado Coração 12 a 15.março.1923. (378)

Veja também: