sexta-feira, 3 de julho de 2020

As Duas Asas da Grande Águia



As duas asas da Grande Águia

Sant’Omero | Itália.

Primeiro sábado do mês.

- Meus filhos prediletos,

hoje me venerais de maneira especial,

no primeiro sábado deste mês de maio,

que dedicais de modo particular a Mim.

- Vós vos reunis em Cenáculos

de Fraternidade e

de Oração com a vossa Mãe Celeste.

- Que conforto dais a Minha Profunda Dor;

que alegria dais ao Meu Coração Imaculado!

- Porque,

por meio de vós,

que Me respondestes,

a Devoção para Comigo já está reflorescendo em toda a Igreja.

O Dragão Vermelho

- Posso, assim,

exercer nestes Vossos Tempos

o Grande Poder que Me foi dado pela Santíssima Trindade,

para tornar inofensivo o ataque que o Meu Adversário,

o Dragão Vermelho,

desencadeou contra Mim,

vomitando da sua boca um Rio de Águas para Me submergir.

- O Rio de Águas

é formado pelo conjunto de todas as Novas Doutrinas Teológicas,

que tentaram obscurecer a figura da vossa Mãe Celeste,

negar os Meus Privilégios,

redimensionar a Devoção para Comigo e

ridicularizar todos os Meus Devotos.

- Por causa destes ataques do Dragão,

a Piedade para Comigo foi diminuindo,

nestes anos,

em muitos fiéis e,

em alguns lugares, desapareceu por completo.

A Grande Águia

- Mas em socorro da vossa Mãe Celeste,

vieram as duas asas da Grande Águia.

- A Grande Águia é a Palavra de Deus,

sobretudo a Palavra contida no Evangelho do Meu Filho Jesus.

- Entre os quatro Evangelhos,

a Águia indica o Evangelho de São João,

porque é aquele que voa mais alto do que todos os outros,

entra no Próprio Coração da Santíssima Trindade,

afirmando, com força:

a Divindade,

a Eternidade e

a Consubstancialidade do Verbo, e

a Divindade de Jesus Cristo.

As duas asas da Águia

- As duas asas da Águia são:

1) A Palavra de Deus Acolhida,

amada e guardada com a ;

2) A Palavra de Deus Vivida

com a Graça e a Caridade.

- As duas asas

da Fé e

da Caridade

–isto é, da Palavra de Deus por Mim Acolhida e Vivida –

permitiram-Me voar acima do Rio de Águas

de todos os ataques movidos contra Mim,

porque manifestaram ao mundo

a Minha Verdadeira Grandeza.

Meu Refúgio no Deserto

- Em seguida,

procurei o Meu Refúgio no Deserto.

- O Deserto em que estabeleci a Minha Morada Habitual

é o coração e a alma de todos os filhos que

Me acolhem,

Me escutam,

se entregam completamente a Mim e

se Consagram ao Meu Coração Imaculado.

- No Deserto em que Me encontro

realizo hoje os Meus Maiores Prodígios.

- Realizo-os no coração e na alma,

ou seja,

na vida de todas as Minhas Crianças mais pequeninas.

- Assim, levo-as a seguir-Me

pelo Caminho da Fé e da Caridade,

fazendo com que elas

Acolham,

Amem e

Guardem a Palavra de Deus

e

ajudando-as a Vive-la cada dia com Coerência e Coragem.

- No Silêncio e no Escondimento, isto é,

no Deserto em que Me encontro,

atuo fortemente para que os filhos a Mim Consagrados:

creiam hoje no Evangelho,

se deixem guiar só pela Sabedoria do Evangelho

e sejam sempre Evangelho Vivido.

O Meu Movimento Sacerdotal Mariano

- Eis a missão que preparei para o Exército que Formei em toda a parte do mundo,

com o Meu Movimento Sacerdotal Mariano:

deixar-se transportar Comigo

sobre as duas asas da Grande Águia,

isto é,

a Fé e

a Caridade,

acolhendo com amor e vivendo,

nestes Vossos Tempos,

só a Palavra de Deus.

- Os Grandes Prodígios que realizo hoje

no Deserto em que Me encontro

são transformar completamente a Vida dos Meus Pequenos filhos,

para que se tornem corajosas

Testemunhas de Fé e

Luminosos exemplos de Santidade.

- Deste modo,

preparo cada dia,

no Silêncio e no Escondimento,

a Minha Grande Vitória sobre o Dragão,

no Triunfo do Meu Coração Imaculado no mundo.

Texto para acompanhar a Leitura e Meditação do Apocalipse 12, 13-17

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 06.05.89

Clique aqui e veja também:

Um Rio de Águas

A Força do Evangelho

O Deserto onde Me retiro

O enorme Dragão vermelho

Segundo Advento de Jesus

Caminho do Calvário 

A Besta semelhante a um Cordeiro

A Besta semelhante a uma Pantera

A Marca na Fronte e na Mão

 “Senhor, que vosso Amor, 

sofrimento, Sangue derramado e Morte na Cruz,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, 

Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”


Nenhum comentário:

Postar um comentário