segunda-feira, 29 de março de 2021

O Homem de todos os tempos

 

O Homem de todos os tempos

Sexta feira Santa:

- Recolhei-vos no Jardim do Meu Coração Imaculado, filhos prediletos, para viver junto com Jesus as Horas terríveis da Sua Dolorosa Paixão.

- É Sexta feira Santa.

- É o dia da Sua Condenação e da Sua Morte na Cruz.

- Depois de ter passado toda a noite entre os insultos e os ultrajes dos membros e dos servos do Sinédrio, Jesus é conduzido, já em pleno dia, diante de Pilatos.

- Aqui acontece um segundo processo, ainda mais humilhante.

- Diante da grande multidão instigada contra Ele,

diante dos chefes religiosos que O acusam de blasfêmia e de sacrilégio,

Jesus Manso como um cordeiro que se deixa conduzir sem um lamento ao matadouro,

assiste em Sublime Silêncio a todo o desenrolar dos fatos:

a honestidade de Pilatos, que não encontra Nele culpa alguma;

“Se não fosse culpado, não O teríamos trazido aqui”

- Pilatos que começa a ter medo da multidão;

a sua dúvida sobre a realidade da Sua Palavra: “Tu és Rei?”

a tentativa de O salvar, propondo a Sua libertação em lugar de Barrabás;

o medo de Pilatos perante os gritos do povo;

o seu terror do juízo de Roma:

“Se soltas Este, és inimigo de César”

- Assim, por covardia, Pilatos assina a Sua condenação a morte.

- Entrega Jesus aos soldados para que seja flagelado.

- O Seu Corpo tornou-se todo uma chaga viva e profunda,

pelas lacerações que os terríveis flagelos romanos provocam na Sua Carne Imaculada.

- Depois é Coroado de Espinhos.

- Os Espinhos abrem-lhe Rios de Sangue, que escorrem da Sua Cabeça e Lhe desfiguram o Rosto; espancam-No e cobrem-No de escarros e de insultos.

“Vimo-Lo ferido e humilhado”;

“O Seu Rosto já não tinha mais semelhança humana”

- A última ideia, mais maldosa e cruel:

cobrem-No com um trapo escarlate, como púrpura;

põem-Lhe nas Mãos uma cana como cetro e conduzem-No a Pilatos, que O apresenta a multidão:

Eis o Homem!

Eis o Homem de todos os tempos.

- Sobre Ele, no Getsemani, foram depostos todos os pecados do mundo;

no Pretório, foram descarregadas as dores, as humilhações, os grandes desprezos, as explorações, as escravidões de todos os homens.

É o Homem de todos os tempos.

- Os homens que existiram antes Dele viveram na esperança de ver este Seu dia e encontraram Nele a Salvação.

- Ele é Aquele que em Abel foi morto,

que em Isaac foi amarrado nos pés,

que em Jacob andou peregrino,

que em José foi vendido,

que em Moisés foi deposto nas águas,

que no Cordeiro foi morto,

que em Davi foi perseguido e

nos Profetas desonrado.

É o Homem de todos os tempos.

- Pelo Dom da Sua Redenção, todos os homens que viveram depois Dele são chamados a viver em Comunhão de Vida com Deus.

- Ele carregou sobre o Seu Corpo os Sofrimentos de todas as vitimas de ódio, da violência, das guerras;

recolheu nas Suas Feridas o sangue derramado por milhões de crianças inocentes, assassinadas ainda no seio das suas mães.

- Foi Flagelado por todas as dores, pelas doenças, especialmente pelos males incuráveis que se espalham;

foi Coroado de Espinhos naqueles que sucumbem as Falsas Ideologias, aos erros que afastam da fé, ao orgulho e a Soberba Humana.

- Foi desprezado nos pequeninos, nos pobres, nos marginalizados, nos últimos, nos explorados.

- Foi cuspido nos rejeitados e nos desesperados.

- Foi exposto ao escarnio naqueles que expõem como mercadoria a dignidade do próprio corpo.

Eis o Homem.

- Agora carrega sobre Si o madeiro da condenação;

sobe o Calvário,

encontra-Se Comigo, Sua Mãe transpassada;

é pregado no Patíbulo

e levantado na Cruz.

- As três angustiosas horas da Sua Agonia,

junto de Mim, Sua Mãe, e de João, o Apóstolo predileto.

- Enfim, o Seu Ato de completo abandono ao Pai e a Sua Morte na Cruz,

por volta das três horas da tarde deste dia.

Eis verdadeiramente o Homem de todos os tempos.

- N’Ele viveu, foi redimido e salvo cada homem:

desde o primeiro, Adão,

até o último que se encontrará sobre a terra no fim dos tempos.

- Com a ajuda de João, de José de Arimateia e das piedosas mulheres,

Eu O levo para o sepulcro, onde é deposto até a aurora do primeiro dia depois de sábado.

- A Sua Ressurreição Divina é a maior prova de que só Ele é o Homem de todos os tempos.

É o Homem dos Novos Tempos.

- Porque só Nele ressuscitarão todos os homens que viveram, morreram, foram sepultados e consumidos até se tornarem pó.

- Vivei, então, Comigo,

mesmo no grande deserto do vosso tempo, estas horas da Sua Paixão e da Sua Morte na Cruz.

- Vivei-as no silêncio, no recolhimento, na oração, em doce intimidade de vida com o vosso Divino Irmão Crucificado.

- Porque só Nele se cumprirão os Tempos Novos que vos esperam, quando Ele voltar a vós na Glória, e todos os poderes do Céu, da Terra e do Inferno se prostrarem diante Dele, para a Perfeita Glória de Deus Pai.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stefano Gobbi / 29.03.91

Clique aqui e veja também:

Ato de Consagração ao Imaculado Coração de Maria

Conformes a Jesus Cristo Crucificado

No Templo do Meu Coração Imaculado

O número da Besta: 666

 “Senhor, que vosso Amor, Sofrimento, Sangue derramado e Morte na Cruz,

não tenha sido em vão pelas nossas almas e

pelas almas dos Vossos Sacerdotes, Filhos Prediletos de Nossa Senhora.”

“Senhor, sou teu servo, filho de Tua Serva.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário