quarta-feira, 16 de setembro de 2020

O Livro de Nossa Senhora

 


O Livro de Nossa Senhora

- Acolho a homenagem que vós Me destes ao subirdes aqui no Meu Santuário para agradecer a vossa Mãe Celeste pelo Livro.

- Quantas dificuldades encontrou o “Meu Livro”, mas quanto bem já realizou em toda a parte do mundo, agora que está traduzido em tantas línguas!

- Foi o instrumento que levou a voz da Mãe Celeste a alma e ao coração de tantos filhos prediletos, a manifestação do meu desígnio materno, o convite a abrigar-vos todos no refúgio do Meu Coração Imaculado.

- Como é que se deve ler este Livro?

- Com a simplicidade de uma criança que escuta a mãe.

- Ela não pergunta porque fala, como fala, ou aonde a conduz com as suas palavras.

- Ama-a e escuta-a, simplesmente.

- Faz tudo o que Ela diz.

- Então a criança é feliz, porque se sente guiada e iluminada pela mãe e vai crescendo assim cada dia na vida, conduzida por Ela e formada pelas suas palavras.

- Assim deve acontecer convosco.

- Lede-o com simplicidade, sem levantar tantos problemas sobre como falo, porque falo, onde falo.

- A Mim só Me interessa que vivais aquilo que Eu vos disse.

- Então o vosso coração será aquecido pelo amor, a vossa alma será iluminada pela Minha Luz e Eu transformar-vos-ei interiormente para vos levar, cada dia, a fazer o que agrada ao Coração de Jesus.

- Se vos consagrardes a Mim,

Eu aceito-vos como sois,

com as vossas limitações,

com os vossos defeitos e pecados,

com a vossa fragilidade,

mas depois, vou vos transformando cada dia, para vos levar a ser conforme o desígnio confiado por Deus ao Meu Coração Imaculado.

- O que é que Eu digo neste Meu Livro?

- Traço um caminho simples e belo, mas difícil –oh, como é difícil!- que é precio percorrer, se quereis viver a consagração.

- Ensino-vos a vive-la: formo-vos concretamente ensinando-vos a viver comigo.

- Digo-vos as coisas que trago no Meu Coração, por serem as mesmas que Jesus vos disse no Evangelho,

o qual deve ser hoje vivido com a simplicidade dos pequeninos,

com o ardor dos mártires e

com a fidelidade de corajosas testemunhas;

deve ser vivido a letra.

- Assim, chamo-vos a oração,

a penitência,

a mortificação,

a prática das virtudes,

a confiança,

a esperança,

ao exercício de uma caridade cada vez mais perfeita.

- É isso o que quero dizer.

- Não vos detenhais, portanto, perante as predições que vos dou, procurando fazer-vos compreender os Tempos em que viveis.

- Como Mãe, digo-vos os perigos que correis,

as ameaças pairam sobre vós,

tudo o que vos poderia acontecer de mal, só porque este mal ainda pode ser evitado por vós,

os perigos podem ainda ser afugentados,

o desígnio da Justiça de Deus pode ser sempre mudado, a qualquer momento, pela força da vossa oração e da vossa penitência reparadora.

- Portanto, não digais:

“Aquilo que nos predissestes não se verificou”

Mas, agradecei comigo ao Pai Celeste,

porque pela resposta de oração e de consagração,

pelo vosso sofrimento,

pelo imenso sofrimento de muitos dos meus pobres filhos, Ele adia o espaço da Justiça para que floresça o da Grande Misericórdia.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 21.01.84

Clique aqui e veja também:

Desígnio do Amor Misericordioso

Sou o início dosnovos tempos

Nenhum comentário:

Postar um comentário