quinta-feira, 3 de setembro de 2020

O Meu e o vosso sim



O Meu e o vosso sim

- Filhos prediletos, olhai hoje para a vossa Mãe Celeste no momento em que diz o seu “sim” a Vontade do Senhor.

- Este “sim” floresceu na minha alma como fruto de muito silêncio.

- Um silêncio interior, no qual Eu vivia habitualmente, e Me orientando a procurar só a Palavra de Deus.

- No mais profundo silêncio, o Verbo comunicava-Se a minha alma, enquanto ela se abria para O acolher e o Meu Coração Imaculado se fechava para O guardar ciosamente.

- Um silêncio exterior, que Me subtraia aos barulhos, as distrações e aos acontecimentos que se desenrolavam ao redor, para Me recolher na perfeita aceitação da vontade de Deus, que Eu procurava cumprir através do Meu humilde e comum modo de viver.

- Assim, o silêncio escondia o grande desígnio do Pai e quando Ele Me foi manifestado, foi também no silêncio que o tive de guardar ciosamente no coração.

- O Meu consentimento materno foi, por isso, invisível e secreto, pois só o Pai o aguardou e o acolheu.

- O Meu “sim” saiu do coração também como fruto de muita oração.

- A Minha vida era já toda ela um encontro de amor com o Pai, o Qual, em segredo, Me manifestava cada vez mais o misterioso desígnio do Verbo, que Se faria mais tarde carne no meu seio virginal.

- Compreendia o verdadeiro sentido da Sagrada Escritura e tudo Me parecia mais claro a respeito daquilo a que Eu era chamada.

- Devia dispor-Me a dar a Minha carne e o Meu sangue ao Verbo do Pai, que Se encarnaria no Meu seio para se oferecer na Cruz em sinal de salvação para todos.

- Assim, o Meu “sim” foi também um perfeito consentimento em sofrer, pois naquele momento acolhi no Meu seio virginal todo o sofrimento do Filho.

- Com a alma vi as feridas das suas mãos e dos seus pequenos pés antes ainda Dele nascer,

e a horrível ferida do Coração antes de ouvir o seu bater;

vi-O estendido na Cruz, antes ainda de O contemplar recém nascido num berço.

- Filhos prediletos, hoje contemplais a vossa Mãe Celeste no momento em que diz o seu “sim” a Vontade do Pai.

- Agora também vós sois chamados a repeti-lo, para que se possa cumprir o desígnio do Pai sobre vós.

- Acolho no Meu Coração Imaculado o vosso “sim”, que hoje todos pronunciais.

- Este “sim” deve florescer em vós como fruto de muito silêncio.

- Conservai no coração a Palavra do Pai;

guardai no segredo da alma o desígnio que a Mãe vos revela.

- Fugi dos alaridos turbulentos do mundo.

- Defendei-vos desta onda de palavras e de imagens que tudo arrasta e contamina.

- Já quase ninguém sabe guardar este silêncio interior, deste modo o meu adversário consegue seduzir-vos e violar os corações e as almas.

- Dizei o vosso “sim” para que se cumpra a Vontade do Pai.

- Por isso sois chamados a penetrar cada vez mais nos seus próprios segredos.

- Vós o fazeis com a vossa oração, que vos leva a comunicar-vos com Deus.

- Assim, podeis tornar-vos hoje a própria voz de Deus, a sua Palavra vivida.

- Jesus, no momento presente, só pede isto aos seus Sacerdotes, enquanto é traído por muitos deles, que abusam das suas próprias Palavras Divinas.

- Dizei comigo o vosso “sim” a Cruz, meus filhos prediletos, pois chegaram também para vós as horas da paixão e do Calvário.

Tal como acolhi no Meu seio virginal o Verbo do Pai, assim encerro hoje cada um de vós no Meu Coração Imaculado, ao mesmo tempo que já vos contemplo no momento da vossa oferta reparadora.

- Deste modo, o vosso “sim”, minhas pequenas crianças, estará o “sim” que a vossa Mãe Celeste repete perpetuamente com alegria ao seu deus.

- Então, também e poderá cumprir em vós a Vontade do Pai e o Meu Coração Imaculado tornar-Se-á o altar sobre o qual sereis imolados para a salvação do mundo.

MSM-Movimento Sacerdotal Mariano / Padre Stéfano Gobbi / 25.03.80

Clique aqui e veja também:

Caminho do Calvário

Obediência completa

Nenhum comentário:

Postar um comentário