terça-feira, 7 de julho de 2020

Apocalipse 16 / O Anjo do primeiro flagelo



Texto para acompanhar a Leitura e Meditação de Apocalipse Ap 16,2; 13, 15-17; 14, 9-11; Gal 5, 13-26


“Recordais, hoje, a minha última aparição em Fátima, a 13 de outubro de 1917, confirmada pelo milagre do sol.

- Olhai cada vez mais para a Mulher vestida de sol, que tem a missão de preparar a Igreja e a humanidade para a vinda do Grande Dia do Senhor (Ap 16,14).

- Os tempos da batalha decisiva chegaram.

- A hora da grande tribulação desceu sobre o mundo, porque os Anjos do Senhor são enviados com os seus flagelos para castigar a terra.

- Quantas vezes vos convidei a caminhar pela estrada:

·         da mortificação dos sentidos,

·         do domínio das paixões,

·         da modéstia,

·         do bom exemplo,

·         da pureza,

·         da santidade.

- mas a humanidade não acolheu o meu convite e continuou a desobedecer ao Sexto mandamento da Lei do Senhor, que prescreve não cometer atos impuros.

- Quis-se, pelo contrário, exaltar tais transgressões e propô-las como a conquista de um valor humano e como um modo novo de exercer a própria liberdade pessoal.

- Chegou-se assim ao ponto de legitimar como sendo bons todos o pecados de impureza.

- Começou-se a corromper as consciências das crianças e dos jovens:

·         Levando-os a convicção de que os atos impuros cometidos sozinhos já não são pecado;

·         Que as relações sexuais tidas antes do matrimônio entre namorados são lícitas e boas;

·         Que as famílias se podem comportar livremente e recorrer até aos meios para impedir o nascimento.

- Chegou-se ao ponto de justificar e exaltar os atos impuros contra a natureza e até a propor leis que equiparam a convivência entre homossexuais a família.

- Jamais como hoje a imoralidade, a impureza e a obscenidade são continuamente publicitadas, através da imprensa e de todos os meios de comunicação social.

- A televisão, sobretudo, tornou-se o instrumento perverso de um bombardeamento cotidiano de imagens obscenas, destinadas a corromper a pureza da mente e do coração de todos.

- Os locais de divertimento, especialmente os cinemas e as discotecas, tornaram-se lugares de profanação publica da própria dignidade humana e cristã.

- É o tempo em que o Senhor, nosso Deus, é ofendido contínua e publicamente com os pecados da carne (Gal 5, 13-26).

- A Sagrada Escritura já vos admoestou de que quem peca por meio da carne, na própria carne encontrará a sua justa punição.

- Chegou assim o tempo em que o Anjo do primeiro flagelo passa sobre o mundo, para que este seja castigado segundo a Vontade de Deus.

- O Anjo do Primeiro Flagelo incide na carne daqueles que a deixaram marcar na fronte e na mão pelo sinal do monstro e adoraram a sua imagem, uma chaga dolorosa e maligna, que faz gritar de desespero aqueles que foram atingidos por ela (Ap 16,2; 13, 15-17; 14, 9-11).

- Esta chaga representa as dores físicas que atingem o corpo por causa de doenças graves e incuráveis.

- A chaga dolorosa e maligna é um flagelo para toda a humanidade, hoje tão pervertida, que construiu uma civilização ateia, materialista e que faz da busca do prazer o fim supremo da vida humana.

- Alguns dos meus pobres filhos, foram atingidos por esta chaga por causa dos seus pecados impuros e das suas desordens morais e carregam, por isso, em si mesmos, o peso do mal que cometeram.

- Outros, ao contrário, são feridos, não obstante serem bons e inocentes;

·         o seu sofrimento serve então para a salvação de muitos ímpios, graças a solidariedade que a todos vos une.

- O primeiro flagelo são os tumores malignos e toda espécie de câncer, contra o qual a ciência nada pode fazer, não obstante o seu progresso em todos os setores;

·         estas doenças difundem-se e atingem cada vez mais o corpo humano, devastando-o com chagas dolorosíssimas e malignas.

- Filhos prediletos, pensai na difusão destas doenças incuráveis em toda a parte do mundo e nos milhões de mortes que elas fazem.

- O primeiro flagelo é a nova doença da AIDS, que fere sobretudo os meus pobres filhos, vitimas da droga, dos vícios e dos pecados impuros contra a natureza.

- A Vossa Mãe Celeste quer ser ajuda, amparo, conforto e esperança para todos, nestes tempos em que a humanidade é ferida por este primeiro flagelo.

- Por isso vos convido a caminhar pela estrada do jejum, da mortificação e da penitência.

- As crianças peço que cresçam na virtude da pureza e que sejam ajudadas, neste difícil caminho, pelos pais e educadores.

- Aos jovens peço que se formem no domínio das paixões com a oração e a vida de união comigo, e que renunciem ao cinema e as discotecas, onde correm o grave e continuo perigo de ofender esta virtude que é tão querida ao Meu Coração Imaculado.

- Aos namorados peço que se abstenham de qualquer relação sexual antes do matrimônio.

- As famílias cristãs peço que se formem no exercício da castidade conjugal e que nunca usem meios artificiais para impedir a vida, conforme o ensinamento de Cristo que a Igreja ainda hoje propõe com iluminada sabedoria.

- Como desejo da parte dos Sacerdotes a escrupulosa observância do celibato e da parte dos religiosos a prática fiel e austera do seu voto de castidade.

- Aos meus pobres filhos atingidos pelo primeiro flagelo da chaga dolorosa e maligna, apresento-Me como Mãe misericordiosa, que alivia e conforta, que leva a esperança e a paz.

- A estes peço que ofereçam os seus sofrimentos em espírito de:

·         Reparação,

·         Purificação,

·         Santificação.

- O Meu Coração Imaculado torna-se, sobretudo para estes, o refúgio mais acolhedor e o caminho seguro que os leva ao Deus da salvação e da alegria.

- Neste Meu Celeste Jardim, todos serão consolados e encorajados, ao mesmo tempo que Eu mesma cuido amorosamente de lhes dar alívio no sofrimento e, se for da vontade do Senhor, de lhes oferecer o dom da cura.

- Portanto, nestes tempos em que a humanidade é atingida pelo primeiro flagelo, convido-vos todos a olhar para Mim, vossa Mãe Celeste, a fim de serdes confortados e ajudados.”

Nossa Senhora a Pe. Stéfano Gobbi / Movimento Sacerdotal Mariano 13.101989


Nenhum comentário:

Postar um comentário