quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Do Papai para os filhos


Exortação do Pai aos filhos
- Vinde agora aprender, filhos meus o que vos pede vosso Pai como prova de amor: bem sabeis que a disciplina é necessária no exército e o regulamento na família bem ordenada.
- Também na grande família de Jesus Cristo impõe-se uma Lei, mas uma Lei cheia de suavidade.
- Na ordem humana os filhos usam sempre o nome do pai, sem o que não poderiam ser reconhecidos como da sua família. Assim, os filhos que são Meus usam o nome de Cristãos, que lhes é conferido pelo Sacramento do Batismo, ao nascerem.
- Vós, que recebestes este nome, sois meus filhos, tendes direito a todos os bens de Vosso Pai...

- Sei que não Me conheceis nem Me tendes amor, antes, pelo contrário, Me odiais e perseguis...mas Eu, vos amo com amor infinito e quero dar-vos parte daquela herança a que tendes direito.
Crede no Meu Amor e na Minha Misericórdia...
Vós Me ofendestes: Eu vos perdôo...
Vós Me perseguistes: Eu vos amo...
Vós Me feristes com Palavras e com ações...Eu quero fazer-Vos bem e abrir para Vós os meus tesouros.
- Não penseis que ignoro como até aqui vivestes: sei que desprezastes as minhas graças, talvez mesmo tenhas profanado Meus Sacramentos. Pois Eu vos perdôo.

- E agora, se quereis viver felizes na terra e assegurar ao mesmo tempo a vossa eternidade, fazei o que vou dizer-vos:
- Sois pobres?
- Esse trabalho que vos é imposto pela necessidade, fazei-o com submissão e ficai sabendo que também Eu vivi trinta anos sujeito à mesma lei, porque fui pobre e até muito pobre.
- Não olheis aos vossos patrões como tiranos...não desejeis a sua desgraça, mas fazei valer os seus interesses e sede fiéis.
- Sois ricos?
- Tendes por vossa conta operários, servos?
- Não exploreis o seu trabalho...remunerai o seu labor segundo a justiça e provai-lhes a vossa afeição e a vossa bondade, porque, se tendes uma alma imortal, eles também a têm; se recebestes os bens que possuís, não foi somente para vosso gozo e bem-estar pessoais, mas a fim de que, administrando-os com prudência, possais exercer a caridade para com o próximo.
- Depois de terdes uns e outros, aceitado a submissão a lei do trabalho, reconhecei humildemente a existência de um Ser que está acima de tudo o que é criado. Esse Ser é o Vosso Deus e, ao mesmo tempo, Vosso Pai.

- Como Deus, exige que cumprais a sua Lei Divina.
- Como Pai, pede-vos filial submissão aos seus Mandamentos.
- Assim, depois de terdes passado uma semana inteira nos vossos trabalhos, nos vossos negócios, nos vossos recreios lícitos, pede-vos que deis uma hora ao menos, ao cumprimento do seu preceito. Será exigir muito?
- Ide pois á sua Casa, a Igreja. Ele lá vos espera dia e noite; e, em cada domingo ou dia de festa dai-lhe essa hora, assistindo ao mistério de Amor e de Misericórdia que se chama Missa.
- Durante ela, falai-Lhe de tudo: da vossa família, dos vossos filhos, dos vossos negócios, dos vossos desejos...apresentai-Lhe as vossas penas, as vossas dificuldades, os vossos sofrimentos...
- Se soubésseis como Ele vos ouvirá e com que Amor vos atenderá.

- Talvez Me diga: Não sei participar da Missa...há tanto tempo não entro numa Igreja.
- Não vos atemorizeis; vinde! Passai simplesmente essa hora a meus pés...deixai que a consciência vos diga o que deveis fazer e não cerreis os ouvidos à sua voz...abri vossa alma...então Minha graça vos falará...mostrar-vos-á, pouco a pouco como deveis proceder em cada circunstância de vossa vida, como haveis de comporta-vos com vossa família ou nos vossos negócios...como deveis educar os vossos filhos, amar os vossos inferiores, respeitar os superiores.
- Ele vos dirá, talvez, que deveis abandonar esta empresa, quebrar aquela amizade má, afastar-vos energicamente daquela reunião perigosa.
- Ela vos dirá que odiais tal pessoa sem razão, e que, ao contrário, desta pessoa que frequentais e amais, deveis separar-vos e fugir dos seus conselhos...
- Experimentai e, pouco a pouco, vereis como se vai estendendo a cadeia das minhas graças. Porque acontece com o bem, como com o mal, basta começar. Os anéis da cadeia prendem-se uns aos outros.
- Se HOJE ouvirdes a minha graça e a deixardes trabalhar em vós, amanhã a ouvireis melhor; mais tarde, ainda melhor, e assim, de dia para dia, a Luz aumentará, a paz crescerá e preparareis a vossa felicidade eterna.

- Porque o homem não foi criado para ficar sempre neste mundo. É feito para a eternidade.
- Sendo imortal, deve portanto viver, não para aquilo que morre, mas para o que permanecerá...
- Juventude, riqueza, sabedoria, glória humana, tudo isso passa e acaba...só Deus subsiste por toda a eternidade.

- Se o mundo e a sociedade estão repletos de ódios e em lutas continuas, povos contra povos, nações contra nações e indivíduos contra indivíduos, é porque o grande fundamento da fé quase desapareceu.
- Reanime a fé, a paz voltará e a caridade reinará.
- A fé não prejudica a civilização e não se opõe ao progresso, pelo contrário, quanto mais se enraíza nos indivíduos e nos povos, mais crescem neles a sabedoria e a ciência, porque Deus é Sabedoria e Ciência infinitas.

O sentido da Paternidade de Deus
- Gosto que Me chames de PAI.
- Quando Me dás o nome de PAI, Meu Coração se sente obrigado a cuidar de ti.

- Aqui na terra, quando a criança começa a falar e pronunciar esta palavra tão terna:“PAI”, os pais transbordam de alegria, abrem-lhe os braços e apertam-na ao coração com tanto amor, que todos os prazeres do mundo nada são perto de tal felicidade.
- Se o pai e a mãe da terra são assim, como não será Aquele que É ao mesmo tempo PAI, MÃE, DEUS, CRIADOR, SALVADOR e ESPOSO; Aquele cujo coração não tem rival em ternura e amor.

- Alma querida, quando te achares angustiada e oprimida, vem, corre a Mim, chama-me “PAI” e repousa em meu coração.
- Se não podes no meio de teu trabalho lançar-te a meus pés como gostarias, repete apenas isto: “PAI”.
- Então ajudar-te-ei, sustentar-te-ei, guiar-te-ei e te consolarei.
De Jesus a Josefa da Sociedade do Sagrado Coração

no Livro “Apelo ao amor” páginas 474; 521-525.

Nenhum comentário:

Postar um comentário