quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Caminho do Calvário


Caminho do Calvário
- Enquanto o Meu Coração mergulhava num abismo de tristeza pela eterna perdição de Judas, os cruéis verdugos, insensíveis a Minha Dor, colocaram sobre os Meus ombros chagados o duro e pesado madeiro sobre o qual se ia consumar o Mistério da Redenção do mundo.
- Anjos do Céu, contemplai o Deus diante do qual vos prostrais em constante adoração:
  • Vede o Criador de todas as maravilhas da terra subir ao Calvário sob o lenho santo e bendito que vai receber seu último suspiro.
- E vós almas que quereis ser minhas fieis imitadoras:
  • Contemplai também Meu Corpo alquebrado por tantos tormentos, caminhando sem forças, banhado em suor e sangue.
  • Sofre e ninguém Dele se compadece.
  • A multidão Me escolta, os soldados Me cercam como lobo vorazes, ávidos por devorar a presa, e nenhum tem pena de Mim.
- O cansaço é tão grande e a Cruz tão pesada que caio desfalecido a meio do caminho.
- Vede esses homens desumanos, levantaram-Me brutalmente:
  • Um Me puxa por um braço, outro pelas vestes que estão coladas as Minhas feridas; este Me aperta a garganta, aquele Me agarra pelos cabelos; outros descarregam sobre Meu Corpo murros e pontapés.
  • A cruz cai sobre Mim, magoando-Me com seu peso.
  • As pedras do caminho rasgam-Me o rosto.
  • A areia e a poeira misturam-se a Minha face:
    • Tornei-Me o Ser mais desprezível da terra.
Martírio dos Dois Corações
- Andai comigo mais um pouco, alguns passos adiante encontrareis a Minha Mãe Santíssima.
- Com o Coração traspassado de dor vem ao Meu encontro, por duas razões:
  1. Para recobrar a vista de seu Deus, a força de sofrer;
  2. Para dar a Seu Filho, com sua atitude heroica, coragem para terminar a Obra da Redenção.
- Considerai o martírio desses Dois Corações:
  • Para Minha Mãe, aquele que ama acima de tudo, é Seu Filho; e longe de poder aliviá-lo, sabe, pelo contrário, tudo que sua presença acrescenta aos Meus Sofrimentos.
  • Para Mim aquela que mais amo no mundo é Minha Mãe. E não somente acho-Me impossibilitado de Consolá-La, mas o lamentável estado a que Me vê reduzido, traspassa-a de dor semelhante a Minha, pois a morte que sofro em Meu Corpo, sofre Minha Mãe no Coração.
- Ah, como se prendem a Mim os seus olhos e como os Meus obscurecidos e ensanguentados se fixam nela.
- Nem uma só palavra trocamos, mas quanta coisa dizem os nossos Corações naquele mútuo e doloroso olhar.

- Jesus emudece... parece que o Amor o absorve na recordação do olhar de sua Mãe.
- Josefa fica suspensa naquele silêncio.
- Ousa afinal rompê-lo perguntando ao Mestre se sua Mãe tinha tido conhecimento de suas dores durante aquelas horas trágicas.
- Sim, responde com Bondade:
  • Todos os tormentos de Minha Paixão estavam-Lhe presentes ao espírito por Divina Revelação.
  • Além disso, alguns dos Meus discípulos, embora de longe, com medo dos Judeus, procuravam informar-se do que se passava para lhe contar.
  • Logo que Ela soube da sentença de morte pronunciada contra Mim, saiu a Meu encontro e não mais Me deixou até que Me depuseram no sepulcro.
Simão, o Cirineu
- Durante este tempo a comitiva se adianta no Caminho do Calvário.
- Aqueles homens iníquos, receando que Eu morresse antes do termo, movidos por maldade atroz e não por compaixão, combinam entre sí procurar alguém que Me ajudasse a carregar a Cruz.
- Foi então que requisitaram por preço módico um homem dos arrdores, chamado Simão.
- Considere duas coisas a respeito de Simão:
  1. Aquele homem, embora de boa vontade, é um mercenário, pois, se Me acompanha e partilha o peso da Minha Cruz, é para ganhar a quantia combinada. Então, quando se sente cansado, deixa pesas mais o fardo da cruz sobre Meus Ombros e é por isso que caio mais duas vezes no caminho.
  2. Esse homem foi requisitado para Me ajudar a carregar uma parte da Cruz, mas não toda a Minha Cruz.
Almas que levam parte da Cruz de Jesus
- Simão foi requisitado, quer dizer, ele tem certo interesse no trabalho ao qual é obrigado:
- Assim acontece com muitas almas que caminham após Mim.
- Aceitam, sim, ajudar-Me a levar a Cruz, mas sempre desejosas de consolo e repouso.
- Consentem em seguir-Me e, com esse fim, abraçaram a Vida Perfeita, mas sem abandonar o próprio interesse que continua sendo o seu primeiro cuidado.
- Por isso vacilam e deixam cair a Minha Cruz quando a sentem muito pesada.
- Procuram modo de sofrer o menos possível, calculam sua abnegação, evitam certo cansaço, certa humilhação, certo trabalho e, lembrando-se talvez com pena do que deixaram, tratam de conseguir ao menos alguns prazeres.
- Numa palavra, há almas tão interesseiras, tão egoístas que, estando dispostas a seguir-Me, mais por sí mesmas do que por Mim; não aceitam senão aquilo que não podem evitar ou que as obriga estritamente.
- Essas almas ajudam-Me a carregar pequenina parte de Minha Cruz e, de tal modo, que adquirirão apenas os merecimentos indispensáveis a sua salvação.
- Mas na eternidade, verão quão atrasadas ficaram no caminho.

Almas que levam a Cruz de Jesus
- Pelo contrário, outras almas há, e numerosas, que, movidas pelo desejo de sua salvação, mas muito mais ainda, pelo Amor daquele que sofreu por elas, decidem seguir-Me no Caminho do Calvário.
- Abraçam a Vida Perfeita e se entregam a Meu serviço, não para levar parte da Cruz, mas para carrega-la toda inteira.
- Seu único fim é dar-Me repouso e consolar-Me.
- Elas se oferecem para tudo o que Minha Vontade pedir e não procuram senão o Meu agrado.
- Não pensam, nem na recompensa, nem nos merecimentos que possam adquirir, nem no cansaço, nem no sofrimento que daí sobrevenha.
- Seu único desejo é provar-Me seu amor e consolar Meu Coração.
- Se Minha Cruz se apresentar sob forma de enfermidade, ou se esconder num emprego contrário a seus gostos e aptidões, se tomar aparências de esquecimento ou de oposição da parte das pessoas que as rodeiam, saberão reconhece-la e aceita-la com toda a submissão de que é capaz sua vontade.
- As vezes, sob o impulso de grande amor por Meu Coração e de verdadeiro zelo pelas almas, fazem o que julgam melhor em tal ou qual circunstância.
Mas toda sorte de penas e humilhações respondem a sua expectativa.
- Então as almas impelidas puramente pelo Amor, descobrem a Minha Cruz nesse fracasso, adoram-na, abraçam-na e oferecem por Minha Glória toda a humilhação que lhes sobrevém.
- Ah, estas almas são por certo as que levam verdadeiramente todo o peso da Minha Cruz, sem outro interesse nem outra paga senão o Amor.
- São as que repousam Meu Coração e o glorificam.
- Convencei-vos pois, de que, se vossa abnegação e vossos sofrimentos tardam a frutificar ou parecem, às vezes, não dar fruto algum, nem por isso foram vãos e inúteis. Um dia a colheita será abundante.

Não criar expectativas humanas
- A alma que ama deveras, não calcula o que faz nem pesa o que sofre.
- Não regateia canseiras, nem trabalhos, não espera recompensa, mas procura tudo o que parece dar mais Glória a Deus.
- E porque age com lealdade, seja qual for o resultado, não procura desculpar-se nem justificar suas intenções.
- E porque age por amor, seus esforços e suas mágoas redundarão sempre na Glória de Deus.
- Assim, não se agita nem se inquieta; e menos ainda, perde a paz se, em alguma ocasião se vir contrariada e humilhada:
  • o único motivo de suas ações é o amor, seu único fim.
- Eis as almas que não buscam salários e só procuram Meu Consolo, Meu Repouso e Minha Glória.
- São as que tomaram a Minha Cruz, e a carregam com todo o seu peso sobre os ombros.
- Não espera Jesus, para ajuda-lo, de verdade, sob a Cruz, esses corações generosos que O amam com amor sincero, leal, desinteressado?
- Se Ele se dignou traçar o plano dessa cooperação tão cara a Seu Coração, não foi porventura para despertar o amor de grande número de almas, daquelas que Santa Teresa já definia nesses termos:
  • Uma alma que sabeis ser toda Vossa.
  • Uma alma que se abandona a Vós, para seguir-Vos aonde quer que vades, e até a morte da Cruz.
  • Uma alma resolvida a ajudar-Vos a carregar Vosso fardo sem nunca Vos deixar sozinho a aguentar o seu peso.
27.março.1923 (426;432-435)
“Apelo ao Amor” A mensagem do Coração de Jesus ao Mundo e Sua Mensageira Irmã Josefa Menéndez da Sociedade do Sagrado Coração.