terça-feira, 11 de março de 2014

Maria, fôrma de Deus

Comunicação da Alma e do Espírito de Maria
§217. A alma da Santíssima Virgem comunicar-se-á a ti para glorificar o Senhor, o seu espírito ocupará o lugar do teu para se regozijar no Senhor, seu Salvador, contanto que te tornes fiel às práticas desta Devoção. É o que exclamava Santo Ambrósio:
“Que a alma de Maria esteja em cada um para glorificar o Senhor; que o espírito de Maria esteja em cada um para se alegrar em Deus” (Lc 1, 46-55).
Ah! Quando virá esse feliz tempo - diz um santo homem dos nossos dias, todo perdido em Maria - Ah! Quando chegará esse feliz tempo em que Maria Santíssima será constituída Senhora e Soberana dos corações, para os submeter plenamente ao Império do seu Grande e Único Amor, Jesus?! Quando é que as almas respirarão Maria como os corpos respiram o ar?! 
- Acontecerão então coisas maravilhosas neste pobre mundo. Porque o Espírito Santo, encontrando a sua amada Esposa reproduzida nas almas, descerá abundantemente sobre elas, plenificando-as de Seus dons, particularmente do dom da sabedoria, para nelas operar maravilhas de graça. Meu querido irmão, quando virá esse tempo feliz, esse século de Maria, em que muitas almas escolhidas e obtidas do Altíssimo por Maria, perdendo-se a si mesmas no abismo do interior d'Ela, se tornarão cópias vivas de Maria, para amar e glorificar a Jesus Cristo? Esse tempo só virá quando a Devoção que ensino for conhecida e praticada: “Para que venha o Vosso Reino, ó Jesus, venha o Reino de Maria!

Transformação das almas em Maria à imagem de Jesus Cristo
§218. Se a árvore da vida, que é Maria, for bem cultivada na nossa alma, pela fidelidade às práticas desta Devoção, dará fruto a seu tempo, e o seu fruto não é outro senão Jesus Cristo.
- Vejo tantas almas piedosas que buscam Jesus Cristo, umas por uma via e uma prática, outras por outra. E, frequentemente, depois de terem trabalhado muito durante a noite, podem dizer: “Embora tenhamos trabalhado durante toda a noite, não apanhamos nada” (Lc 5, 5). E nós poderíamos dizer-lhes: Trabalhastes muito e lucrastes pouco: Jesus Cristo é ainda muito fraco em vós! Mas, no caminho imaculado de Maria e nesta divina prática que ensino, trabalha-se de dia, trabalha-se num lugar santo e trabalha-se pouco. - Em Maria não há noite, porque Ela não teve nem a menor sombra do pecado. Maria é um Lugar Santo, o Santo dos Santos, onde os santos são formados e moldados.

§219. Peço-te que notes o que disse: os santos são moldados em Maria. Há grande diferença em fazer uma figura em relevo a golpes de martelo e de cinzel, e fazer uma figura lançando-a numa fôrma. Os escultores e estatuários trabalham muito para fazer imagens do primeiro modo, e precisam de muito tempo. Mas, a fazer imagens da segunda maneira, trabalha-se pouco e fazem-se rapidamente. Santo Agostinho chama a Santíssima Virgem “Fôrma de Deus”, Fôrma própria para formar e moldar deuses: “Sois digna de ser chamada Fôrma de Deus”. Aquele que é lançado nesta Fôrma Divina depressa é formado e moldado em Jesus Cristo e Jesus Cristo nele. Facilmente e em pouco tempo será transformado em Deus, divinizado, pois é lançado no próprio molde que formou um Deus.

§220. Parece-me que posso muito bem comparar os diretores espirituais e as pessoas devotas, que querem formar Jesus Cristo em si ou nos outros por meio de práticas diferentes desta Devoção, a escultores, que confiando no seu engenho, diligência e arte dão uma infinidade de golpes de martelo e cinzel na pedra dura ou num pedaço de madeira mal polida, para dela fazerem uma imagem de Jesus Cristo. E às vezes não conseguem representar Jesus Cristo ao vivo, quer por falta de conhecimento e experiência da pessoa de Jesus, quer por causa de um golpe mal dado, que estragou a obra. Mas, quanto aos que abraçam este segredo de graça que lhes apresento, comparo-os, com razão, a fundidores e moldadores que acharam a Fôrma tão bela de Maria, na qual Jesus Cristo foi natural e divinamente formado. Não confiando na sua própria habilidade, mas unicamente na excelência da Fôrma, lançam-se e perdem-se em Maria, para se tornarem o retrato vivo de Jesus Cristo.

§221. Ó bela e verdadeira comparação! Mas quem a compreenderá?
- Desejo que sejas tu, meu querido irmão. Mas lembra-te que só se lança na fôrma o que está fundido e líquido. Isto quer dizer que deves destruir e fundir em ti o velho Adão, para que em Maria te transformes no novo.

A Maior Glória de Jesus Cristo
§222. Por esta prática, fielmente observada, darás mais glória a Jesus Cristo em um só mês, do que por qualquer outra, embora mais difícil, em muitos anos. Eis aqui as razões do que afirmo:
1º. Porque fazendo as tuas ações pela Santíssima Virgem Maria, como esta prática ensina, renuncias às tuas próprias intenções e operações, embora boas e conhecidas, para, por assim dizer, te perderes nas intenções e operações da Santíssima Virgem Maria, muito embora te sejam desconhecidas.
- Deste modo entras na participação da sublimidade das suas intenções. A pureza destas foi tanta que Ela glorificou mais Deus pela mínima das suas obras, do que São Lourenço pelo cruel martírio que sofreu na grelha, e mesmo do que todos os santos pelas suas mais heroicas ações. E assim, durante a sua permanência na Terra, Maria adquiriu uma plenitude indizível de graças e méritos. Seria mais fácil contar as estrelas do Céu, as gotas de água do mar e os grãos de areia das praias do que os Seus méritos e graças. Ela deu mais glória a Deus do que todos os anjos e santos lhe deram ou jamais darão.
Oh! Que prodígio sois, Maria! Só Vós podeis realizar os prodígios de graça nas almas que querem docilmente abismar-se em Vós.

§223. 2º. Porque esta prática faz com que uma alma considere tudo aquilo que pensa ou faz por si mesma como sendo um nada. Apoia-se e compraz-se apenas nas disposições de Maria, para se aproximar de Jesus e até para lhe falar. Assim mostra muito mais humildade do que as almas que agem por si mesmas e se apoiam e deleitam, imperceptivelmente, nas suas próprias disposições. Essa alma dá muito mais glória a Deus, que só é glorificado perfeitamente pelos humildes e pequenos de coração.

§224. 3º. Porque a Santíssima Virgem digna-se receber, por grande caridade, a oferta das nossas ações em suas mãos virginais, e dá-lhes assim uma beleza e um brilho admiráveis. É Ela própria que as oferece a Jesus Cristo, e não há dúvida de que Nosso Senhor é assim mais glorificado do que se lhas oferecêssemos nós mesmos com as nossas mãos criminosas.

§225. 4º. Finalmente, porque nunca pensas em Maria sem que Maria, em teu lugar, pense em Deus; e nunca louvas Maria sem que Ela contigo louve e honre a Deus. Maria só a Deus se refere, e bem lhe poderíamos chamar de a relação de Deus, que só existe em referência a Ele, ou o eco de Deus, porque Ela só diz e repete: “Deus”.
- Quando dizes Maria, Ela diz Deus. Santa Isabel louvou-a e proclamou-a bem-aventurada porque tinha acreditado; Maria, o eco fiel de Deus, cantou: “A minha alma glorifica o Senhor” (Lc 1, 46).
- O que Maria fez nessa ocasião, renova-o todos os dias. Quando a louvamos, amamos e honramos, ou lhe damos alguma coisa, é a Deus que louvamos, amamos e honramos, é a Deus que damos por Maria e em Maria.
Tratado da Verdadeira Devoção a Santíssima Virgem Maria

São Luis Maria Grignion de Monfort

Nenhum comentário:

Postar um comentário