terça-feira, 29 de outubro de 2013

Consagração da familia a Nossa Senhora


As famílias que se consagraram a Mim
“Como me sinto consolada por este dia transcorrido em oração, em simples e cordial fraternidade, com esta família que se consagrou a Mim e que Me pertence!
Quero agora dirigir-vos minha palavra consoladora, que seja de conforto para vós entre as dificuldades cotidianas da vossa existência.
Eu vos amo, estou presente no meio de vós, falo-vos e conduzo-vos, porque sois os instrumentos da minha Vontade materna.
Eu olho com amor as famílias que se consagraram a Mim.
Nestes tempos, Eu reúno as famílias e as introduzo nas profundezas de meu Coração Imaculado, para que possam encontrar refúgio e segurança, conforto e defesa.
Como amo ser invocada Mãe e Rainha dos meus Sacerdotes, 
também amo ser invocada como Mãe e Rainha das famílias que se consagraram a Mim.
Eu sou a Mãe e Rainha das famílias.
Vigio sobre sua vida, coloco no meu Coração os seus problemas, interesso-me, não apenas pelo seu bem espiritual, mas também pelo bem material de todos os seus membros.
Quando consagrais uma família ao meu Coração Imaculado, é como se abrísseis a porta de casa à vossa Mãe do céu e a convidásseis a entrar e lhe désseis espaço para Ela poder exercer sua função materna de maneira sempre mais acentuada.
Eis porque quero que todas as famílias cristãs se consagrem ao meu Coração Imaculado.
Peço que Me abrais as portas de todas as casas, para que Eu possa entrar e estabelecer morada materna no meio de vós.
Então, Eu entro como vossa Mãe, fico morando convosco e participo de toda a vossa vida.

Em primeiro lugar cuido da vossa vida espiritual:
Procuro levar as almas dos membros da família a viverem constantemente na graça de Deus.
Onde Eu entro, o pecado sai; onde Eu permaneço, estão sempre presentes a Graça e a Luz divina; onde Eu habito, habitam comigo a pureza e santidade.
Eis porque a minha primeira função materna é a de fazer com que os membros de uma família vivam em Estado de Graça, é fazê-los crescer na vida de santidade, por meio da prática de todas as virtudes cristãs.
E, visto que o Sacramento do Matrimônio vos concede a graça particular de fazer-vos crescer juntos, minha tarefa é a de cimentar, profundamente, a união de uma família; levar marido e mulher a viverem em comunhão espiritual sempre mais profunda, a aperfeiçoarem o seu amor humano, torná-lo mais perfeito, introduzi-lo no Coração de Jesus, para que possa assumir nova forma de maior perfeição, cuja expressão é a Caridade pura e sobrenatural.
Eu reforço sempre mais a união nas famílias, levo-as a uma maior compreensão recíproca, faço sentir as novas exigências de uma comunhão mais delicada e profunda.
Conduzo seus membros pelo caminho da santidade e da alegria, caminho que eles devem construir e percorrer juntos, para que possam chegar a perfeição do amor e, assim, gozar do precioso dom da paz.
Eis como Eu formo as almas dos meus filhos e através do caminho da família, conduzo-as ao vértice da santidade.
Quero entrar nas famílias para vos santificar, para vos conduzir a perfeição do amor, para permanecer convosco, para tornar vossa união familiar mais fecunda e forte.

Depois cuido também do bem material das famílias que se consagram a Mim:
O bem mais precioso de uma família são os filhos. Os filhos são sinal de uma particular predileção de Jesus e minha.
Os filhos devem ser desejados, acolhidos, cultivados como as pérolas mais preciosas da propriedade familiar.
Quando entro numa família, Eu logo tomo conta dos filhos, eles se tornam também meus.
Tomo-os pelas mão, levo-os a percorrerem o caminho da realização do desígnio de Deus, que foi claramente delineado sobre cada um desde a eternidade; amo-os; nunca os abandono; tornam-se parte preciosa da minha propriedade materna.

Cuido particularmente do vosso trabalho:
Eu nunca vos deixo faltar a providência divina.
Tomo as vossas mãos e as abro ao desígnio que o Senhor realiza, cada dia, por meio da vossa colaboração humana.
Como a minha humilde, fiel e cotidiana ação materna, na pequena e pobre casa de Nazaré, possibilitava o cumprimento do desígnio do Pai, que se realizava no crescimento humano do Filho, chamado a realizar a obra da Redenção para a vossa Salvação. Assim também Eu vos chamo a colaborar com o desígnio do Pai, que se realiza com a vossa participação humana e mediante o vosso trabalho cotidiano.
Vós deveis realizar vossa parte, como o Pai do Céu realiza a sua.
A vossa ação deve harmonizar-se com a da Divina Providência, a fim de que o trabalho possa produzir o fruto daqueles bens que são úteis ao sustento da vossa vida, ao enriquecimento da mesma família, para que seus membros possam gozar sempre de bem-estar espiritual e material.
Depois, ajudo-vos a realizar o desígnio da vontade de Deus.
Assim, torno o trabalho espiritualmente mais fecundo, porque faço com que se transforme em fonte de merecimentos para vós e ocasião de salvação para muitos de meus pobres filhos perdidos.
Então, em vós, a ação se une ao amor, o trabalho à oração, a fadiga à sede ardente de uma caridade cada vez maior.
Deste modo, com a vossa colaboração à vontade do Pai, compondes a obra prima de uma Providência que, por vosso intermédio, se torna concreta e cotidiana.
Não temais: onde Eu entro, comigo está a segurança.
Nunca vos faltará nada.
Eu aperfeiçôo a vossa atividade; Eu purifico o vosso próprio trabalho.

Eu participo igualmente de todas as vossas preocupações:
Sei quão numerosas são hoje as preocupações de uma família. São vossas e tornam-se minhas.
Tomo parte convosco dos vossos sofrimentos. Por esta razão, nos tempos tão difíceis da atual purificação, Eu estou presente nas famílias que se consagraram a Mim, como Mãe preocupada e dolorosa que participa realmente de todo o vosso sofrimento. Consolai-vos, portanto.

Estes são os meus tempos:
“Estes”, isto é, os dias que estais vivendo, são “meus”, porque são tempos assinalados por grande e forte presença minha.
Estes tempos se tornarão ainda mais meus, na medida em que minha vitória se ampliar e se tornar mais forte que a vitória que agora pertence ao meu adversário.
Esta minha presença se tornará tão forte e extraordinária, sobretudo nas famílias consagradas ao meu Coração Imaculado. Será uma presença notada por todos e se tornará para vós fonte de particular consolação.
Prossegui, então, a vossa caminhada com confiança, na esperança, no silêncio, no vosso trabalho de cada dia, na oração e na humildade.
Progredi sempre mais na pureza e na reta intenção; avançai comigo no difícil caminho da paz do coração e da paz nas vossas famílias.
Se todos caminhardes pela estrada que vos tracei, se ouvirdes e praticardes quanto hoje vos disse, as vossas famílias serão os primeiros rebentos do meu triunfo: rebentos pequenos, escondidos, silenciosos, que já despontam no mundo inteiro, quase a antecipar a nova era e os novos tempos, que já estão às portas.

A todos encorajo e abençôo”.
                                     (Movimento Sacerdotal Mariano-230787)

Nenhum comentário:

Postar um comentário